Definir Três Lagoas como sua cidade padrão?

Sim Não
Rádios On-line
8514
Preve Objetivo
EDITORIAL

Alto custo

Leia o Editorial do Jornal do Povo, publicado na edição que circula neste sábado (8)

8 JUL 2017 - 08h:32Por Redação

Os números são impressionantes. O legislativo local já consumiu este ano mais de R$ 7 milhões. Recurso público destinado a manter os 17 vereadores “trabalhando”. Como poucos tem dedicação exclusiva ao parlamento, pode-se dizer que oficialmente os vereadores precisam cumprir apenas algumas horas semanais para embolsar o gordo salário que recebem mensalmente. Aí nós podemos dizer que o trabalho dos vereadores é muito importante para a cidade e os “escolhidos”, merecem receber cada centavo. Sim, a lei determina que assim seja feito e não existe como alterar essa norma que é legal. A não ser é claro, que os vereadores decidissem por exemplo, apoiar uma causa ou desenvolver ações sociais em parceria com a prefeitura. Em casos assim, a Câmara tem total poder para devolver parte do dinheiro que, por lei, é destinado ao custeio do parlamento. 

Abrir mão de alguns benefícios em pról da comunidade tem sido uma prática bastante comum em cidades pequenas. E temos exemplo de Câmaras de Vereadores que ajudam inclusive a comprar máquinas, equipamentos e até caminhões para melhorar a estrutura do município. Fazem isso, devolvendo dinheiro aos cofres públicos. Agem de forma a retribuir a confiança da população. Outra forma que muitos vereadores encontram de valorizar o dinheiro dos impostos pagos pelo cidadão, é evitando desperdício com as “famosas” diárias. Mas o problema é que a fome pelos recursos públicos por vezes, impedem os bons exemplos. Numa avaliação superficial nos números, vimos que alguns vereadores já gastaram mais de R$ 22 mil este ano, só com “viagens”. 

Como atualmente tudo está, por força de lei, se tornando “transparente”, tem parlamentar que ao ser questionado sobre como usou a grana pública, diz que é só olhar na internet. E entre viagens justificadas como ações parlamentares em busca de “emendas” e participação em “cursos”, a gente vai observando que os gastos do legislativo impressionam. E para não perder o ritmo, agora pretendem reformar a Câmara. Ou seja: se tem dinheiro em caixa, é preciso encontrar mecanismos que permitam seu uso. Mesmo que a destinação não tenha grande relevância coletiva.

Mas, entre os 17 vereadores de Três Lagoas, alguns optaram não utilizar o benefício das diárias. São uma minoria é claro. Na reportagem de capa desta edição, você verá que serão consumidos em 2017 pelo legislativo local, mais de R$ 17 milhões. Uma cifra impressionante e que causa inveja a muitas prefeituras do estado. Até 2020, vamos destinar quase R$ 70 milhões aos cofres da Câmara municipal de Três Lagoas. Nesse período vamos custear viagens, cursos, alimentação, gasolina e pagar os salários dos 17 parlamentares. Apesar da crise nacional, do desemprego e dos recorrentes escândalos de corrupção que vemos diariamente ganhar destaque na mídia, ainda não conseguimos enxergar uma ação que pudesse gerar em nós, uma expectativa positiva em relação a atuação dos atuais vereadores no que diz respeito á economia do dinheiro público.

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13

Ver Todos os Programas da TVC
Dá Negócio
6864