Rádios On-line
7930
ENTREVISTA

Animais na lagoa: tragédia previsível

Promotor de Justiça defende que jacarés da espécie papo-amarelo sejam retirados imediatamente da área urbana de Três Lagoas

8 JUL 2018 - 07h:00Por Valdecir Cremon

Apesar de apreciados por frequentadores da Lagoa Maior, animais selvagens que vivem soltos no local preocupam o promotor de Justiça, Antônio Carlos de Oliveira, responsável pelas pautas de meio ambiente no Ministério Público, na cidade. Contrário à presença de capivaras e jacarés na área urbana da cidade, frequentada diariamente por centenas de pessoas, ele é autor de uma ação que pede à Justiça a remoção dos bichos para áreas de preservação ambiental. A medida é segurança, garante Antônio Carlos, que teme por ataques a humanos, além do risco de transmissão de febre maculosa por capivaras. 

Jornal do Povo - Houve ao menos dois ataques recentes de jacarés a cães e há risco de acidentes com as pessoas. O que se está esperando ocorrer?
Antônio Carlos - Uma desgraça. Uma tragédia, com um ataque a uma pessoa, adultos ou crianças que frequentam a Lagoa Maior. Isso pode estar muito perto de ocorrer porque as pessoas parecem ter perdido o medo de pôr as mãos nos animais. Nesta semana vi uma foto de uma criança passando a mão na barriga de uma capivara.

JP - Mesmo com o risco de contaminação pela febre maculosa?
Antônio Carlos - Sim. Esse risco existe. Mas, tenho visto que há um acompanhamento da Secretaria de Meio Ambiente e não foi encontrado o carrapato que transmite a doença. Felizmente, porque se houver o carrapato será necessário sacrificar todas as capivaras, porque, afinal, estão dentro da área urbana.

JP - Não haveria outra alternativa?
Antônio Carlos - Não, porque seria um risco ainda maior que um possível ataque de jacaré a uma pessoa, por exemplo. Felizmente não foram encontrados carrapatos nas capivaras.

JP - A Justiça aguarda, agora, um laudo do Ibama para decidir o destino dos jacarés. Mas, é o Ibama quem deve dar a palavra final sobre isso?
Antônio Carlos - Por mim, não. Nem qualquer outro órgão estadual. Esse é um assunto municipal, e a Secretaria de Meio Ambiente, da Prefeitura de Três Lagoas, tem poder para tomar essa decisão e remover os jacarés para um local seguro, onde é o habitat desta espécie.

JP - A secretaria municipal teria essa competência, na sua opinião?
Antônio Carlos - Tem, porque, no ano passado, não foi a secretaria que determinou a remoção de três jacarés da mesma espécie? Então por que, agora, depende de autorização de outro órgão superior? A secretaria tem essa autonomia e, ainda, possui pessoal especializado para isso.

JP - Outro problema da Lagoa Maior são as construções no entorno, bem perto da água. Não é possível fazer mais nada?
Antônio Carlos - Juridicamente fizemos o possível. Agora trata-se de uma questão que o município deve decidir se quer um local de recreio, de passeio, para conservação ambiental, ou se a Lagoa Maior será uma área de construções. Por que, da maneira que vem vinho, nos últimos anos, logo teremos de usar drones para ver a lagoa. Já há construções que desfiguram a beleza natural da lagoa. Nós tentamos combater isso, mas não foi possível, ainda. Enquanto eu for promotor de Justiça na área do meio ambiente não vou concordar com isso. 

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13

Ver Todos os Programas da TVC
BAND
7300