Rádios On-line
11350
Nova Estrela 0603
5 ANOS

Apesar de toda estrutura, curtume segue fechado

Causas seriam a baixa demanda para couro industrializado e mudanças na restituição de impostos estaduais

16 MAR 2019 - 13h:45Por Ana Cristina Santos

Após quase cinco anos, o único curtume de Três Lagoas continua fechado, apesar de ter conseguido documentação necessária em órgãos do Estado. Desta vez, as causas seriam a baixa demanda para couro industrializado e mudanças na restituição de impostos estaduais.

A unidade foi interditada pelo Instituto de Meio Ambiente do Mato Grosso do Sul (Imasul), em agosto de 2014, devido a irregularidades de operação e falta de licença ambiental.  Em 2015, depois de adequações, o curtume conseguiu uma licença. “Temos dois fatores: um é o mercado que está estagnado, e o outro, precisamos da restituição de impostos, como previsto pela lei Kandir porque 90% de nossa produção é para exportação”, explicou o gerente Claudemir Rocha.

Pela lei, estados são proibidos de cobrar ICMS sobre produtos semielaborados - caso do couro - vendidos para fora do país. Por isso, governos cobram da União a restituição do tributo desde a aprovação da lei, em 1996. A soma da cobrança chega a R$ 39 bilhões. O Congresso Nacional discute, há 20 anos, uma mudança na lei.

Apesar disso,  a empresa - que possui matriz em Presidente Prudente (SP) -, pretende reativar o curtume e gasta R$ 150 mil por mês com manutenção e salários de 10 trabalhadores.  Antes de fechar, a unidade chegou a empregar 160. 

“Estamos preparados para funcionar. A estrutura está pronta, temos parte da equipe e o maquinário”, destacou o gerente. 

Veja a matéria

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13