Rádios On-line
SEM ESTRUTURA

Alunos e professores protestam e cobram reforma de quadra

Escola Estadual Padre João Tomes é a única da cidade sem quadra poliesportiva coberta; piso está irregular

13 ABR 2017 - 09h:06Por Sergio Colacino

Alunos, pais e funcionários da Escola Estadual Padre João Tomes, na Vila Piloto, cobram a cobertura e reforma da quadra da escola. No sábado (8), eles fizeram uma manifestação no local, tentando chamar a atenção das autoridades. O abraço coletivo simbolizou o carinho pela estrutura, que está abandonada. A esperança é que quem tem o poder de resolver, também abrace a causa.

Durante a visita da nossa equipe à escola, pudemos acompanhar um pouco da aula de educação física. As atividades são apenas recreativas. De esportes, nada. Por quê? Falta de segurança. “Alunos se machucarem durante as aulas e durante competições interclasse é o que mais acontece, principalmente quando jogam futsal. Toda vez tem alguém que se machuca”, conta o professor Rodrigo Oliveira, apontando para as irregularidades no relevo da quadra. "O piso tem elevação em vários pontos, os alunos tropeçam, caem. Antes de ser um prazer, a gente tem um desafio”, desabafa.

Segundo o diretor, Edson Benazet, a quadra tem 27 anos, é a mesma desde a criação da escola. Todo esse tempo, sem manutenção. As únicas melhorias que o piso recebeu no período foram a limpeza e a pintura. Tudo por conta dos próprios funcionários. “A gente já pediu para a Secretaria de Educação, mas a resposta é sempre a mesma, que vai ser incluso no planejamento. Mas faz quase 30 anos que esse planejamento não sai”, lamenta o diretor.

A João Tomes tem cerca de 700 estudantes. Cinco turmas são de ensino integral. Sem cobertura, se chove as aulas de educação física são canceladas. Se faz calor, o que não é raro por aqui, é preciso aproveitar as poucas sombras na quadra – o que limita as atividades. “Não temos anfiteatro, não temos um lugar para fazer apresentações, para fazer uma reunião com os pais. Então dependemos do clima”, diz o diretor da escola. Os próprios alunos cobram as melhorias. “É difícil jogar bola aqui. Eu mesmo já ‘estourei’ meu dedão do pé umas sete vezes”, conta um deles. Entre as escolas estaduais de Três Lagoas, a João Tomes é a única que não tem quadra coberta. “A gente espera com esse movimento sensibilizar todo que puderem ajudar a atingir esse sonho, que é um sonho antigo que já dura quase 30 anos”, finaliza Edson.

Deixe seu Comentário