Rádios On-line
TRêS LAGOAS

Após um ano de ocupação, sonho começa virar realidade para 148 famílias

Prefeitura vai ajudar na construção de 148 moradias populares no Jardim das Primaveras

5 JUN 2017 - 14h:20Por Ana Cristina Santos

Há um ano após a ocupação de uma área pública no Jardim das Primaveras, em Três Lagoas, 148 famílias começam a ver o sonho da tão esperada casa própria, prestes a se tornar realidade.

Em junho do ano passado, algumas famílias, cansadas de esperar por obras de infraestrutura, necessárias para iniciarem a construção de moradias populares em um terreno doado pela Prefeitura de Três Lagoas em 2011, para esta finalidade, ocuparam parte do loteamento Jardim das Primaveras, nas proximidades do bairro Jardim das Violetas.

A ocupação começou com dois barracos, depois foi tomando proporção maior, e hoje são dezenas de construções no local. As famílias aguardam há oito anos por uma moradia popular. Tudo começou, quando um grupo ocupou uma área do governo federal nas proximidades da linha férrea, em 2008. Nessa época, as famílias aderiram a um movimento por moradia. Depois deixaram a área.

Passado alguns anos, essas famílias conseguiram que a prefeitura doasse essa área no Jardim das Primaveras para a construção de moradias populares. No entanto, devido questões burocráticas, a área não tinha sido legalizada e as famílias impossibilitadas de construir no local. Cansados de esperar e sem condições de pagar aluguel, um grupo decidiu ocupar o terreno.

No ano passado, na gestão da prefeita Márcia Moura (PMDB), uma ação foi movida para reintegração de posse da área. A Justiça acatou o pedido do município, porém o advogado do movimento recorreu da decisão, e conseguiu reverter o despejo das famílias.

Na semana retrasada, o prefeito Ângelo Guerreiro (PSDB) esteve no local, conversando com as famílias, garantindo que a área será destinada sim a construção de moradias populares, e que a administração municipal, em parceria com o governo do Estado, vai ajudar na realização do sonho dessas pessoas.

De acordo com a diretora do Departamento de Habitação, Sônia Gois, essas famílias serão atendidas pelo Programa Lote Urbanizado do governo do Estado, que subsidiará a construção da fundação de uma residência de 40,56 metros quadrados até o contrapiso, com fossa séptica, sumidouro, parte hidráulica e primeira fiada em alvenaria.

Além disso, o prefeito Ângelo Guerreiro estuda a possibilidade de a prefeitura ajudar com a doação de uma cesta de material de construção. A implantação de rede de água no local, também está prestes a ser iniciada. “A esperança voltou, estávamos cabisbaixo com a situação, mas o nosso sonho agora vai se tornar realidade, graças à ajuda do prefeito”, disse Márcia Cardoso, a primeira moradora a ocupar a área, com o marido e cinco filhos pequenos.  

 

Deixe seu Comentário