Rádios On-line

Arroz com feijão ficou mais caro na cidade

Mesmo com desoneração de alguns produtos, três-lagoenses estão pagando R$ 11,82 a mais nos produtos da cesta

13 ABR 2013 - 09h:21Por Arquivo JP

A desoneração de alguns itens da cesta básica, anunciado pelo governo federal no mês passado, não foi suficiente para conter a inflação em Três Lagoas. Pesquisa realizada pelo Programa de Defesa do Consumidor (Procon) do município, divulgada ontem, apontou um aumento de 9,84% no preço médio da cesta básica em comparação a outubro do ano passado, quando foi divulgada a última pesquisa no setor.

Segundo o Procon, o valor médio de uma cesta básica composta por 33 itens – entre produtos de higiene pessoal, limpeza e do gênero alimentício  - é R$ 131,49, em Três Lagoas. O resultado, baseado no levantamento de preços em cinco supermercados, aponta um aumento equivalente a R$ 11,82 em comparação ao preço médio registrado há seis meses. Em outubro – antes da desoneração dos itens -, pesquisa semelhante apontou que a população pagava, em média, R$ 119,67 pela cesta básica.

Entre os itens com o maior aumento, está o tomate – hoje grande vilão da mesa de muitos brasileiros. O quilo do produto saltou de R$ 3,11 (preço médio em outubro do ano passado) para R$ 6,49, o equivalente a um acréscimo de mais de 100%. 

Além do aumento, o consumidor que estiver disposto a pagar mais barato por esse fruto terá de ficar atento a tabelas e etiquetas com preços. A mesma pesquisa apontou uma variação de preços de um estabelecimento para outro de quase 100%, passando de R$ 4,59 no lugar mais barato para R$ 8,90 no mais caro. 

Outros legumes acompanharam o comportamento do tomate. O quilo da cebola também chama a atenção pelo aumento registrado em seis meses, saltando de R$ 2,46 para R$ 4,09 (aumento de 65,4%). Ela é seguida pela batata, também bastante consumida pelo brasileiro. Nesse caso, o aumento foi de 35,4% (R$ 2,74 em outubro de 2012 para R$ 3,71, em abril).

O feijão tipo carioquinha, tradicional na mesa dos brasileiros, também teve aumento expressivo. Em seis meses, o preço saltou de R$ 4,61 para R$ 6,32 (alta de 37%).

A farinha de mandioca também teve o preço inflacionado nos últimos seis meses, passando de R$ 2,11 para R$ 3,15 nos principais supermercados três-lagoenses. 

QUEDA
A pesquisa apontou ainda para redução no preço de alguns itens da cesta básica, conforme foi prometido pelo governo federal como medida para conter a inflação. Entre eles, estão mais baratos o arroz de cinco quilos, que caiu de R$ 10,19 para R$ 8,59 (5kg); o açúcar (R$ 0,50 mais barato); o café moído e a carne vermelha de primeira, cuja queda foi de quase R$ 1 no quilo. A redução, porém, foi inferior ao aumento registrado em todo o Brasil. Com os impostos zerados, esperava-se que a cesta básica ficasse R$ 10 mais barata. 

VARIAÇÃO
Além disso, a pesquisa apontou variação de preços de 10,4% de um estabelecimento para outro, em Três Lagoas. A cesta básica mais barata pode ser encontrada por R$ 125,85, enquanto a mais cara custa R$ 138,96 ao consumidor. 
A pesquisa foi realizada em cinco supermercados da cidade: Big Mart, Nova Estrela, Proença, Abevê e Thomé. Ao todo, foram pesquisados os preços de 24 itens do gênero alimentício e nove de higiene e limpeza. A pesquisa não leva em consideração a marca dos produtos.

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13