Rádios On-line
8995
Nova Estrela 0603

Autoridades defendem instalação de radares

Após impasse na Justiça que proibiu a instalação de lombadas eletrônicas durante alguns anos em Três Lagoas,município já está apto a implantar esses dispositivos novamente

26 SET 2012 - 08h:25Por Redação

Após impasse na Justiça que proibiu a instalação de lombadas eletrônicas durante alguns anos em Três Lagoas, a diretora do Departamento de Trânsito, Creuza Ramos, disse que o município já está apto a implantar esses dispositivos novamente. Pessoalmente, ela comentou ser favorável à implantação dos equipamentos, entretanto, disse que a instalação depende de algumas questões, como valor, responsabilidade pela concessão, assim como ouvir a população.

Creuza comentou que a população precisa entender que lombadas não são sinônimo de fábrica de multas, mas sim, de segurança. “Infelizmente, enquanto as pessoas não tiverem consciência, temos que optar por esse tipo de instrumento. Se o condutor anda certo, dentro da velocidade permitida, não tem porque ele ser contra as lombadas”, frisou. Em razão da nova realidade de trânsito em Três Lagoas, ela disse que é preciso apelar para que as pessoas reflitam sobre a necessidade de instalação desses dispositivos.

O comandante da Polícia Militar, o tenente-coronel Wilson Sergio Monari, disse que não só é favorável, como tem cobrado a instalação de radares eletrônicos em Três Lagoas. Ele frisou que é uma ferramenta a mais para diminuir o número de acidentes.

De acordo com Monari, o radar eletrônico também é um instrumento preventivo, já que os condutores passam a transitar com mais cautela e dentro do limite de velocidade permitido nas vias que possuem radares eletrônicos. “Nas cidades do interior do Estado de São Paulo, por exemplo, onde existem placas indicando a presença do radar, as pessoas transitam dentro da velocidade. O redutor de velocidade evita acidentes e atropelamentos”, destacou.

Segundo o tenente-coronel, a maioria dos acidentes está ligado ao comportamento dos motoristas, os quais, por sua vez, excedem o limite de velocidade. “Se o condutor está dentro da velocidade permitida, contribui para evitar o abarrotamento, dá tempo de frear o veículo antes”, salientou.
Monari comentou que a instalação de radares eletrônicos nas vias de Três Lagoas têm sido uma das principais reivindicações durante as reuniões do Gabinete de Gestão Integrada de Trânsito (GGIT). Entre as propostas sugeridas pela população durante o 2º Seminário de Segurança Pública, realizado em junho deste ano, está a implantação de dispositivos de fiscalização eletrônicas, como radar, pardal, lombadas e olho vivo.

O coordenador do Samu, Daniel Mendes da Silva, disse que é a favor da instalação desses equipamentos, desde que sejam autuadas também as motocicletas. A maioria dos acidentes de trânsito atendidos pelo Samu, segundo ele, tem o envolvimento de motos. “Analisando apenas pelo lado dos acidentes, sem verificar o aspecto financeiro, acho que esses equipamentos poderiam contribuir desde que sejam sensíveis às motocicletas”, salientou.

Silva comentou que uma pessoa que se envolve em um acidente de trânsito representa um grande gasto para a saúde. Só para se ter uma ideia, ele informou que uma cirurgia para a reconstrução de um joelho de uma pessoa que se envolveu em um acidente de moto custa R$ 30 mil.

O vereador Fernando Milan (PMDB) também defende a instalação desses equipamentos em Três Lagoas, já que, de acordo com ele, são necessárias medidas mais enérgicas para reduzir o número de acidentes de trânsito na cidade.


Deixe seu Comentário

TVC Canal 13