Rádios On-line

Autoridades visitam instalações da Siderúrgica Três Lagoas

Siderúrgica já está em operação, porém, ainda não está funcionando em sua plena capacidade de produção

6 FEV 2013 - 11h:01Por Arthur Freire/JP

Cumprindo agenda no município, a governadora em exercício Simone Tebet, juntamente com o presidente da Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul, Sérgio Longen, visitou as instalações da Siderúrgica de Três Lagoas (Sitrel). A visita contou com a presença do superintendente da Votorantim Siderurgia, Albano Chagas Vieira, entre outras autoridades.

Vieira informou que a siderúrgica já está em operação, porém, ainda não está funcionando em sua plena capacidade de produção. “Estamos operando com 35% da capacidade, sendo que a meta da siderúrgica é atingir 400 mil toneladas de aços longos por ano”, comentou. Segundo ele, isso se deve à atual situação econômica do país. “Estamos operando assim, porque o mercado pede. Na medida em que o mercado for crescendo, vamos aumentado a nossa capacidade, mas estamos operando com todas as linhas de produção”, comentou.

Segundo o superintendente da Votorantim Siderurgia, atualmente, a Sitrel oferece 130 empregos diretos, chegando a um total de 250 indiretos. Quando a empresa chegar a 100% de sua capacidade, ele informou que a projeção é de que a Sitrel empregue 400 pessoas, entre empregos diretos e terceirizados.

Vieira destacou que, para chegar a 100% da capacidade de produção estimada pela empresa, depende do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil, assim como do próprio país. Ele ressaltou ainda que os incentivos fiscais concedidos pelo governo do Estado foram de extrema importância para a instalação da siderúrgica em Três Lagoas.

A governadora em exercício disse que o incentivo fiscal do governo do Estado foi decisivo para a instalação da siderúrgica em Três Lagoas. “Foi decisivo, pois foi de 90%, ou seja, ao invés de pagar 100% paga menos de cinco por cento de imposto. É uma siderurgia que começa com 120 mil toneladas por ano, mas com capacidade total para chegar a 400 mil toneladas anualmente, com um foco: o mercado interno brasileiro. Ela veio para produzir o aço para Mato Grosso do Sul, Goiás, entre outros estados e cidades do interior do Estado de São Paulo”, destacou.

Simone comentou que a siderúrgica em Três Lagoas proporcionará o barateamento do custeio para as indústrias. “A Sitrel vem com esse perfil. As indústrias que estão vindo e precisam do aço em sua construção pagam menos frete e isso barateia a construção do edifício e da casa popular, enfim, poderá produzir e entregar a matéria-prima para baratear novos investimentos no ramo da construção civil”, destacou Simone Tebet.

A Sitrel começou a comercializar os produtos no final do ano passado, que serão comercializados em todo o país. A empresa investiu R$ 250 milhões na unidade local. A Siderúrgica Três Lagoas complementará as operações da Votorantim Siderurgia. Trata-se de uma joint venture com o empresário Alexandre Grendene, um dos donos da fábrica de calçados Grendene. 

A Votorantim Siderurgia tem uma atuação importante no mercado siderúrgico. A empresa é um dos principais players do setor e atua na fabricação e comercialização de aços longos. No Brasil, conta com duas unidades siderúrgicas no Sul Fluminense: uma em Barra Mansa, com capacidade produtiva de 800 mil toneladas por ano, e outra em Resende, com capacidade de 1 milhão de toneladas por ano. 

No exterior, a Votorantim Siderurgia é acionista majoritária da Paz Del Río, na Colômbia, com capacidade de produção de 450 mil toneladas por ano, e controla a empresa Acerbrag, na Argentina, com capacidade de 300 mil toneladas por ano.

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13