Rádios On-line
ESPORTE

Auxiliar de arbitragem, Daiane Muniz se prepara para a final em Corumbá

Acolhida por Três Lagoas, Daiane Caroline Muniz participará do segundo jogo da decisão entre Corumbaense e Novo

7 MAI 2017 - 16h:00Por Jonas Turolla

Apesar da Série A do Campeonato Sul-Mato-Grossense não contar com nenhum clube três-lagoense, a cidade não ficará de fora da grande final da competição. Nascida em Sâo Paulo, mas acolhida por Três Lagoas há cinco anos, a auxiliar de arbitragem Daiane Caroline Muniz foi escalada para atuar no segundo e derradeiro jogo da decisão do torneio, entre Corumbaense e Novo, neste domingo (7), em Corumbá.

Esta será a terceira final consecutiva da carreira de Daiane. De acordo com ela, a preparação para jogos como este é sempre mais complicada. "É muita responsabilidade. Condicionamento físico, técnico e principalmente psicológico devem estar alinhados para um jogo de tamanha importância. Para você ter uma ideia, nossa equipe começa os trabalhos hoje mesmo, no hotel. Fazemos uma preleção dos pontos onde devemos focar e se posicionar diante de todas as possibilidades que o jogo irá oferecer", contou.

De 2015 para cá, a auxiliar de 28 anos vem acumulando jogos importantes no currículo. Integrante do quadro de arbitragem da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) desde 2014, Daiane atuou no duelo entre São Paulo e Santa Cruz, na última rodada do Brasileirão do ano passado; além de oito partidas na Série B, uma na C e duas na D. Em 2017, já esteve no jogo entre Paysandu e Águia de Marabá, pelas quartas de final da Copa Verde. "Sempre busco me preparar para as oportunidades. Se eu estiver bem preparada, será um bom ano. É uma visibilidade e experiência que só jogos assim podem proporcionar", comemorou.

Daiane também falou sobre a sua relação com os jogadores durante os jogos. Segundo ela, que não vê o fato de ser mulher como um 'obstáculo', é preciso manter uma postura rígida e mostrar autoridade. "É claro que há situações no jogo onde o emocional domina e é onde acontece as discussões, reclamações, xingamentos vindo deles. É aí que entra trabalho mental para lidar com essa pressão. Procuramos ser autoridade sem ser autoritário", declarou.

"O preconceito pra mim é algo que parte da cabeça de alguém que tem uma cultura enraizada, machista. Não me interfere, não me atrapalha, não me atinge", completou.

O árbitro Thiago Alencar Gonzaga e o auxiliar Cícero Alessandro de Souza também participam do duelo decisivo deste fim de semana. João Gilberto Fidias e Moacir da Silva Soares completam o quinteto de arbitragem. No jogo de ida, disputado no último domingo (30), em Campo Grande, Corumbaense e Novo empataram por 1 a 1. O resultado favoreceu a equipe de Corumbá, que segue com a vantagem do empate por ter feito a melhor campanha da primeira fase. A partida acontece às 15h (horário de Mato Grosso do Sul).

Deixe seu Comentário