Rádios On-line
TRêS LAGOAS

Azambuja diz que governo tem recurso para concluir e equipar Hospital Regional

Governador diz que pediu agilidade à empreiteira para conclusão da obra, que deve ser entregue no final do ano

16 FEV 2019 - 06h:59Por Ana Cristina Santos

O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), disse nesta semana que o Estado tem o dinheiro necessário para concluir a construção do Hospital Regional de Três Lagoas. Dos R$ 54 milhões previstos para construção, o governo ainda tem R$ 38 milhões - recurso suficiente para o término da obra que, segundo ele, deve ser entregue no final deste ano.

De acordo com Azambuja, que cumpriu agenda na cidade nesta semana, o governo tem mais R$ 28 milhões em caixa para a compra de equipamentos para o hospital. O recurso é fruto de emendas parlamentares no orçamento da União para equipar o hospital. “Pedimos para a empresa acelerar a obra, contratar mais pessoas para ver se entregamos no final do ano”, disse Azambuja. 

Quanto ao funcionamento, o governador disse que será discutido ainda com a prefeitura e universidades a forma de gestão hospitalar, se será compartilhada ou apenas pelo governo do Estado. “Vamos discutir, principalmente com os bons profissionais de saúde e queremos pactuar isso, para transformar esse hospital em um polo de referência de alta e média complexidade para toda a região”, destacou.  

MÁQUINAS
Azambuja esteve em Três Lagoas para entregar equipamentos a pequenos produtores rurais, visando garantir o fortalecimento da agricultura familiar.

Foram entregues 30 máquinas e equipamentos, além de nove grupos de implementos, que custaram cerca de R$ 1,1 milhão. Os municípios contemplados foram Três Lagoas, Anaurilândia, Aparecida do Taboado, Brasilândia, Cassilândia, Inocência, Paranaíba e Santa Rita do Pardo.

Nos últimos quatro anos, o governo do Estado investiu R$ 25 milhões em equipamentos para atender a agricultura familiar. “Temos que abrir espaço para agricultura familiar, abrir o mercado, organizar as cooperativas, organizar as associações dos assentamentos, fortalecer com a Agraer a venda dos produtos, porque quando o produtor vende sozinho, ele perde competitividade. Ele é engolido pelo mercado e pelo atravessador. Quando ele vende em escala maior na cooperativa ele ganha mercado. Ele tem competitividade de venda”, destacou.

Azambuja disse que nos próximos dias deverá se reunir com a bancada federal do Estado,  em Brasília, para tratar dos investimentos prioritários para Mato Grosso do Sul.

Deixe seu Comentário