Rádios On-line
ALERTA

Bairros de Três Lagoas registram índice com risco de surto de dengue

Em alguns bairros da cidade o índice de infestação do mosquito transmissor da dengue está acima do recomendado pelo Ministério da Saúde

20 JAN 2017 - 09h:49Por Ana Cristina Santos

O resultado do Levantamento de Índice Rápido de Infestação por Aedes Aegypti (Lira), divulgado nesta semana pela Secretaria Municipal de Saúde, aponta que, Três Lagoas continua com o índice de infestação predial e de depósitos do mosquito transmissor da dengue acima do recomendado pelo Ministério da Saúde.

O índice geral do Lira na cidade referente a janeiro é de 1,5%. Se comparado ao último levantamento realizado em novembro do ano passado, houve um aumento de 0.9%. No entanto, se comparado a janeiro de 2016, houve uma redução considerável. Em janeiro do ano passado, o índice foi de 4.4%- quatro vezes superior ao recomendado pelo Ministério da Saúde que é abaixo de 1%.

A pesar da queda se comparado ao mesmo período do ano passado, a situação requer atenção. De 1 % a 3,9%, o índice representa situação de alerta. Acima de 3,9%, há risco de surto.

BAIRROS
Se o índice geral está acima do recomendando, em algumas microáreas , a incidência de infestação do mosquito da dengue é ainda maior. Em determinadas regiões da cidade, o índice está muito acima do preconizado pelo Ministério. De acordo com o último levantamento, na região do bairro Vila Nova o índice foi de 11%- onze vezes superior ao recomendo. Na região do Interlagos o índice foi de 8%, na Vila Zucão ;6%, Santa Rita;4%, Santa Luzia; 4.8%. Têm microáreas de outros bairros que registram 3.6%.

De acordo com o coordenador do Setor de Endemias, Valdecir Antônio Marangõa, a população precisa sempre estar em alerta em relação ao mosquito transmissor da dengue. Ele disse que o poder público vem fazendo a sua parte, com os agentes de endemias nas ruas, visitando as casas, mas destacou que é importante o morador também fazer a sua. “Estamos sempre atentos. No ano passado, inclusive tivemos o apoio do Exército. Em razão desse trabalho é que houve uma queda se comparado ao início de 2016”, destacou.

Segundo o coordenador, logo após o resultado do levantamento, os agentes iniciaram o pós- Lira para descobrir o foco gerador. “Não podemos permitir que o mosquito dessas microáreas em que o índice deu alto, vá para as que deram baixa”, explicou.

CASOS
Neste mês, quatro casos suspeitos de dengue foram registrados na cidade, mas até agora, nenhum confirmado. Em todo o ano passado, Três Lagoas registrou 945 casos confirmado de dengue.
 

Deixe seu Comentário