Rádios On-line

Blitz educativa orienta mulheres sobre a violência doméstica

Cerca de 100 moradoras dos bairros Jardim das Violetas e Chácara Imperial receberam informações

14 MAR 2013 - 08h:54Por Arthur Freire/JP

Cerca de 20 pessoas participaram, na manhã de ontem, de uma blitz educativa com o intuito de orientar as moradoras dos bairros Jardim das Violetas e Chácara Imperial sobre os direitos das mulheres em relação a violência doméstica. A mobilização é uma iniciativa do Centro de Referência de Atendimento à Mulher (Cram) em conjunto com a Delegacia de Atendimento à Mulher (DAM), a Secretaria de Assistência Social, Sest/Senat, Crase “Coração de Mãe”, entre outros órgãos.

O trabalho de orientação foi feito casa a casa, cerca de 100 mulheres foram abordadas. A equipe de profissionais entregou panfletos, além de que aproveitou a oportunidade para divulgar o trabalho do Cram, a importância da vítima registrar boletim de ocorrência, contra o agressor, na DAM, e, ainda informou sobre um importante canal a disposição da classe feminina que é o “Ligue 180”. Este é um serviço de atendimento telefônico gratuito da Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM) criado com o objetivo de disponibilizar um caminho para que a população, principalmente as mulheres, possa se manifestar acerca da violência doméstica. O foco do atendimento é acolher, orientar e encaminhar a vítima para os diversos serviços da Rede de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres em todo o Brasil.

Segundo a coordenadora do Cram, Sheila Regina dos Santos, a caminhada educativa foi muito positiva. Em aproximadamente, 30 minutos de trabalho no Jardim das Violetas, sete mulheres vítimas de violência se desabafaram com a equipe. No bairro Chácara Imperial, de acordo com dados do Cram, cinco mulheres também se sentiram seguras para contar as agressões que sofrem em casa dos companheiros. As vítimas receberam dos profissionais das áreas jurídica, psicológica e assistência social orientações sobre como resolver esta situação de violência doméstica. “Acredito que só depois de um tempo de acompanhamento estas vítimas conseguirão poder e coragem para denunciar os agressores”, pontuou.

Conforme informações da titular da Delegacia de Atendimento à Mulher (DAM), Letícia Mobis Alves, o Jardim das Violetas e a Chácara Imperial, onde as ações da blitz se concentram não foi escolhido aleatoriamente, mas sim, pelo fato de serem os dois bairros de Três Lagoas com maior incidência de violência doméstica. “Toda semana um agressor morador destes bairros são intimados pela DAM para prestarem depoimentos”, esclareceu.

O objetivo da Rede de Proteção à Mulher é aumentar o número de denúncias de violência doméstica. E ultrapassar a marca de 2012, no Cram, quando foram registrados 489 casos de violência doméstica. “Por meio desta blitz a equipe sentiu que ainda existe muita mulher desinformada quanto aos seus direitos, e também extremamente receosas, amedrontadas. Acredito que nossa visita levou informações para estas mulheres ”, informou Sheila Regina.

CRAM 
O Cram é composto por uma equipe de advogados, assistentes sociais e psicólogos. Estes profissionais oferecem as vítimas esclarecimentos sobre os tipos de violência existentes e, principalmente, que eles não se resumem apenas à agressão física como também a psicológica (ofensa), patrimonial (divisão de bens). Além de, dar orientações jurídicas sobre os direitos da vítima no caso de divórcio ou separação.
 
No órgão a vítima também pode requerer passagem para sua cidade de origem, caso a família, more em outro município, além de conseguir abrigo em Campo Grande, quando  a agredida queira sair de casa.

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13