Rádios On-line
DIZEM ESPECIALISTAS

Chuvas acima da média podem deixar conta de energia sem tarifa extra

Segundo especialistas, situação das usinas hidrelétricas devem se normalizar e bandeira verde pode ser mantida

10 JAN 2018 - 16h:11Por Sergio Colacino

As chuvas intensas que atingem Três Lagoas desde o começo de 2018 podem trazer um alívio na conta de energia elétrica. Apesar dos estragos, o alto volume de água é apontado por especialistas como impulso para a recuperação dos reservatórios de usinas hidrelétricas de todo o país, segundo publicou o site do jornal “O Globo” nesta quarta-feira (10).

De acordo com a publicação, citando fontes da agência internacional de notícias “Reuters”, o cenário mais favorável deve manter a bandeira tarifária verde, que não gera custos adicionais aos consumidores. “Acredito fortemente que janeiro, fevereiro e março terão bandeira verde, ainda mais se continuarem essas afluências. Vai aliviar a conta, ao contrário do que estava acontecendo no último trimestre de 2017”, disse o diretor comercial da Energética Comercializadora, Laudenir Pegorini, segundo “O Globo”.

No fim de 2017, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) autorizou o uso da bandeira vermelha patamar 2, com custo extra de R$ 5 a cada 100 quilowatts/hora (kW/h) consumidos. Em janeiro, a bandeira já anunciada é a verde.

“A perspectiva do mercado é que nos próximos meses teremos bandeira verde. Para sair disso teria que mudar completamente o cenário hidrológico” afirma o presidente da FDR Energia, Erik Azevedo em entrevista para “O Globo”.

Bandeira branca

Desde o dia 1º de janeiro está em vigor a tarifa branca de energia. A nova modalidade permite ao consumidor pagar tarifas diferenciadas de acordo com a hora do dia. Na primeira fase, poderão adotar a tarifa os consumidores de baixa tensão, como residências, pequenos comércios e indústrias, com consumo médio mensal superior a 500 quilowatts/hora. Em média, o consumo das famílias brasileiras é de 160 kWh/mês.

Deixe seu Comentário