Rádios On-line
TRêS LAGOAS

Cinturão Verde segue com futuro indefinido

Série de denúncias de irregularidades envolve ocupação de lotes na área pública

24 NOV 2018 - 07h:00Por Ana Cristina Santos

Uma série de denúncias de irregularidades envolve a ocupação de lotes no Cinturão Verde - algumas já comprovadas em levantamento e por documentos que fazem parte de uma ação civil pública que tramita no Poder Judiciário de Três Lagoas.

O Cinturão está localizado em Jupiá, nas proximidades da ponte rodoviária que liga o município ao Estado de São Paulo. Algumas famílias que moram no local receberam da prefeitura um Termo de Cessão de Uso para a ocupação do local, que já expirou. Outras não têm nenhuma documentação e compraram área de terceiros, o que é proibido.

Levantamentos realizados pela prefeitura a pedido do Ministério Público Estadual, autor de uma ação que pede a regularização da área, revelam que a maioria dos lotes é improdutivo. Por esse motivo, pede que a prefeitura tome providências em relação essa área.

Uma audiência judicial para decidir sobre o pedido do MP está marcada para 6 de fevereiro de 2019.
Em razão desse impasse, uma audiência pública, proposta pelo  presidente da Câmara, André Bittencourt (PSDB), foi realizada na Câmara de Vereadores nesta semana. O plenário ficou lotado. Muitos moradores, preocupados com a possibilidade de terem que deixar o local. Cerca de 600 pessoas moram nos 200 lotes.

O comandante da Polícia Militar, major Ênio Souza, que esteve presente, disse que o Cinturão apresenta baixo índice de ocorrências, mas que têm alguns aspectos que preocupam. Um deles, por estar na divisa com o Estado de São Paulo - um corredor por onde passa drogas, armas, além de ser um local que serve de esconderijo para bandidos. Apesar disso, ressaltou que pode haver um problema social, caso as famílias tenham que deixar o local.

Alguns moradores, por sua vez, alegam que falta apoio do poder público, por isso, muitos não produzem. Alegaram ainda que não querem uma “casinha na cidade”, pois muitos não sabem fazer outra coisa.

 

Deixe seu Comentário