Rádios On-line
11586
Daterra
LIGAÇÕES PERIGOSAS

Diretora de aeroporto é afastada após vazamento de conversas

Sindicância vai apurar 'eventual descumprimento de deveres funcionais'

10 AGO 2019 - 13h:10Por Ana Cristina Santos

A Prefeitura de Três Lagoas afastou do cargo por 30 dias a diretora do aeroporto municipal, Sayuri Baez, após vazamento de supostas conversas dela com o vereador Reneé Venâncio (PSD), pela internet, sobre horário de trabalho do  ex-funcionário comissionado Helmar Castilho. As conversas teriam ocorrido por um aplicativo de celular. 

Castilho - autor das postagens - é o mesmo que afirmou no Facebook que haveria irregularidades na prefeitura e foi exonerado sem apresentar provas, no mês passado. Nas publicações, ele afirma, sem citar nomes, que haveria furto de combustível na prefeitura.

Segundo portaria assinada pelo secretário municipal de Administração, Gilmar Tabone, uma sindicância vai apurar “eventual descumprimento de deveres funcionais”, como “guardar sigilo em assuntos internos, quando se tratar da defesa dos interesses públicos e especialmente sobre despachos, decisões ou providências”. Uma comissão deve elaborar um relatório dentro de 60 dias. 

Nenhum dos citados na reportagem foi localizado, ontem, para falar do assunto. 

NOTA

Procurado pela reportagem, o vereador Renée Venâncio (PSD), divulgou a seguinte nota na manhã deste sábado.

 "Eu e minha família vínhamos sendo atacados covardemente por um cidadão de nome Helmar de Souza Castilho, em páginas apócrifas e perfis pessoais falsos do Facebook, administrados pelo ex servidor municipal em cargo de confiança no Aeroporto Municipal de Três Lagoas, e que se apresenta em seu perfil pessoal verdadeiro do Facebook como Castiel Castilho. Esse mesmo Helmar (ou Castiel Castilho) fazia denúncias anônimas falsas à Polícia Federal, alegando que eu usava computadores da Polícia Federal para navegar nas redes sociais durante meus plantões, o que sempre foi oficialmente rechaçado após investigação preliminar. Isso ocorre há dois anos, sob o olhar atento do prefeito e seus bajuladores. Aí, como vereador, tomei as minhas providências e apresentei na Câmara Municipal de Três Lagoas um requerimento solicitando informações de todos os funcionários do aeroporto municipal para verificar se alguém recebia salário da municipalidade exclusivamente para atacar vereador de oposição.

O requerimento foi aprovado pelos vereadores, mas o prefeito se negou a responder num ato ostensivo de desrespeito à decisão da Câmara Municipal de Três Lagoas e de proteção a alguém que trabalhava no aeroporto. Foi então que me reportei à diretora do Aeroporto Municipal de Três Lagoas, Sayuri Baez. Para minha surpresa, a diretora do aeroporto municipal estava enfrentando problemas com o servidor comissionado Helmar de Souza Castilho, ou Castiel Castilho. Segundo queixas diversas e de várias origens, o referido servidor de confiança se apresentava ao serviço sem camisa, às vezes visivelmente embriagado, fumava nas dependências do aeroporto, desrespeitava superiores hierárquicos e colegas de trabalho. Além disso, segundo consta, Helmar não saía das redes sociais em horário de trabalho, atacando a minha reputação sob orientação superior, não tinha CNH e não tinha o nível médio educacional, requisitos básicos para exercício da função pela qual foi contratado em comissão.

Meus movimentos então passaram a ser no sentido de flagrar as condutas ilícitas do servidor de confiança do prefeito e questionar o prefeito 'a posteriori' se ele ainda manteria um servidor de tão desqualificado em cargo de confiança, recebendo dinheiro público. Como eu nunca tive tempo de verificar pessoalmente ou através do envio de autoridades competentes para fiscalizar essas condutas, usamos a própria fala do servidor de confiança do prefeito que acusava em vídeo outros servidores municipais concursados de praticarem vários crimes para instalar uma CPI contra o prefeito Ângelo Guerreiro que, sabendo das denúncias, não havia tomado nenhuma providência até então. Acuado, Guerreiro demitiu o tal Castiel Castilho do Aeroporto Municipal, mas o mantém por perto e cativo, tanto que o tal Castiel Castilho estava prestando serviços na Cavalgada do Arapuá.

Sobre o roubo e manipulação de mensagens da diretora afastada do Aeroporto Municipal de Três Lagoas, aí já é assunto exclusivo dela e dos ladrões que fizeram isso, pois eu não tenho essas mensagens. Ela apenas pediu socorro a um vereador de pulso por temer o comportamento ilícito de alguns funcionários pontuais e protegidos politicamente. Tanto é verdade que outro servidor em cargo de confiança quebrou o sigilo telemático da diretora, roubou suas correspondências eletrônicas e manipulou suas mensagens privadas a fim de destruir a diretora e ganhar a gratidão de seus mantenedores políticos. Tudo que a diretora queria era zelar pela segurança do aeroporto, cuidar da segurança dos usuários e primar pelo bom andamento do serviço público ali prestado. A disparidade de caráter entre Sayuri Baez a Castiel Castilho é gritante. Só a administração municipal não enxerga isso e ainda exalta a canalhice de quem não presta."

Reportagem editada às 13h32 (MS) para acréscimo de informações.

ASSISTA

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13