Rádios On-line

Dobra número de queimadas em terrenos baldios neste ano

Fim das águas de março dá início ao problema das queimadas ilegais na cidade

10 MAI 2013 - 08h:45Por Arthur Freire/JP

O fim das águas de março dá início a um problema cultural grave: as queimadas. O clima seco, comum no inverno, propicia o aumento considerável de queimadas tanto em terrenos baldios quanto em locais onde há lixo produzido por moradores, e também em pastagens. 

Dados do Corpo de Bombeiros apontam que, apenas nos nove primeiros dias do mês de maio, o número de ocorrências atendidas para controlar incêndios em pastagens e terrenos baldios já pode ser comparado ao total registrado em abril. Até o dia 9, os bombeiros haviam atendido a sete incêndios, sendo um em mata nativa, três em pastagens, um em lixo urbano (onde se incluem galhadas) e dois em terrenos baldios. Já no mês passado, foram registrados dois incêndios em terrenos baldios, quatro em lixo e um em pastagens.

Ao todo, apenas neste ano foram atendidos pelos bombeiros 24 casos de incêndio em vegetação no município, o que inclui pastagens, terrenos e mata nativa.

O número de queimadas, entretanto, pode ser bem maior. Conforme o tenente Leandro Domingos, do Corpo de Bombeiros, a corporação trabalha com uma ordem prioritária de atendimento. Em primeiro lugar, explicou ele, está o risco à vida. Em segundo, o risco de danos a bens materiais (risco de incêndios em imóveis, veículos, linhas de alta tensão etc.) e em terceiro o meio ambiente. “Nossa prioridade é salvar vidas. Com esse ‘boom’ de Três Lagoas, aumentou o número de habitantes, de veículos e, consequentemente, o de acidentes de trânsito. Aumentou muito o nosso volume de trabalho e, por conta disso, temos que priorizar os casos que caracterizam emergência”, destacou. 

De acordo com o tenente, a tendência é que o índice de queimadas continue a crescer nos próximos dias, caso não haja chuva. A mesma previsão também é feita pela Ana Paula Mendes Lima, diretora da Secretaria de Meio Ambiente. De acordo com ela, nos quatro primeiros meses de 2012, os fiscais do Meio Ambiente haviam registrado oito notificações de queimadas em terrenos baldios. Já neste ano, o volume quase dobrou, passando para 14 multas aplicadas de janeiro até ontem.

“Geralmente, nesta época do ano as queimadas tendem a aumentar. É um problema cultural grave, comum não apenas em Três Lagoas como em muitas outras cidades. Muitas vezes, vemos a mesma pessoa que reclama da queimada no terreno ao lado praticando o mesmo ato”, disse.

Ana Paula explicou que os casos de queimadas em terrenos baldios podem ser denunciados aos órgãos competentes, como a própria Secretaria de Meio Ambiente e a Polícia Militar Ambiental (PMA). “Nós atenderemos o caso e, se for comprovado o crime ambiental, aplicaremos a notificação”, completou.

CONSCIENTIZAÇÃO
A secretaria também pretende preparar para a semana de comemoração do Dia do Meio Ambiente, 7 de junho, uma nova campanha de conscientização sobre queimadas. Na semana passada, representantes da pasta reuniram-se com empresas parceiras para discutir o assunto. A programação ainda está sendo organizada. 

“Além disso, a ação de limpeza e notificação dos terrenos baldios sujos também tem nos ajudado no combate às queimadas”, lembrou Ana Paula.

Deixe seu Comentário

RCN LIVE EUGENIO MUSSAK

TVC Canal 13