Rádios On-line
SEGURANÇA

Escolas estaduais de Três Lagoas serão monitoradas por câmeras de segurança

Projeto que prevê a instalação de câmeras de monitoramento em 12 escolas estaduais deve ser implantado ainda neste ano

20 OUT 2018 - 08h:00Por Ana Cristina Santos

As 12 escolas estaduais de Três Lagoas serão monitoradas por câmeras de segurança. O projeto será desenvolvido pela Polícia Militar em parceria com a sociedade civil organizada e a Secretaria Estadual de Educação. A previsão, de acordo com o comandante da Polícia Militar de Três Lagoas, major Ênio Souza, é de que o projeto seja implantado ainda neste ano. 

De acordo com o comandante, falta apenas o governo do Estado assinar um documento autorizando a parceria com uma empresa da cidade, que já dispõe dos equipamentos para a instalação. O assunto foi discutido ontem, em reunião com a secretária estadual de Educação, Maria Cecília Amendola da Motta, que cumpriu agenda em Três Lagoas.

A colocação das câmeras nas escolas visa garantir a segurança de alunos, professores e o corpo técnico das instituições.  Além disso, tem como finalidade inibir a presença de outras pessoas dentro das unidades escolares.

O comandante disse que esse projeto vai facilitar o trabalho da Polícia Militar, uma vez que os policiais terão acesso às imagens em frente às escolas. “Assim que o projeto estiver assinado, de imediato será implantado, uma vez que a parceria já existe com alguns empresários e a empresa é local, e os equipamentos já estão disponíveis para isso. Assim que acontecer a assinatura do protocolo já vamos iniciar a instalação nas doze escolas estaduais de Três Lagoas”, destacou.

Major Ênio informou que o projeto partiu de uma iniciativa da coordenadora regional de Educação, em Três Lagoas, a professora Marizeth Bazé, que foi diretora da escola estadual Dom Aquino Corrêa por vários anos. “E juntos com os empresários da cidade conseguimos desenvolver esse projeto”, disse o major.

FERRAMENTA
O comandante afirmou que câmeras serão “uma ferramenta a mais” para agregar no trabalho que a Polícia Militar tem realizado em frente às escolas, que enfrentam problemas de brigas e de alunos envolvidos com drogas. Segundo o major, a PM trabalha também em parceria com o Ministério Público e Conselho Tutelar, que tem notificado pais de alunos infratores. “Temos alertado que caberá multa. O pai tem a responsabilidade pelo menor”, alertou.

Maria Cecília disse que já há parceria em outros segmentos na área da Educação com a sociedade civil organizada, e que têm dado certo. Ela espera que até o final do ano o projeto de monitoramento nas escolas seja implantado. 

Deixe seu Comentário