Rádios On-line
JUSTIÇA

'Estou emocionalmente abalado', diz homem que atropelou e matou criança após ouvir sentença

Familiar da vítima, Isabel dos Santos Saltiva, diz estar aliviada e que a justiça foi feita

31 AGO 2017 - 09h:10Por Tatiane Simon

Após Jânio Jorgino dos Santos ouvir a sentença condenatória, no final da tarde desta quarta-feira (30), de 14 anos e seis meses de prisão em regime fechado pelos crimes de homicídio qualificado, tentativa de homicídio simples e direção alcoolizada, ele foi levado à Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) . A reportagem do JPNEWS esteve no local, porém Santos não quis falar com a imprensa. “Não vou comentar sobre o assunto, estou emocionalmente abalado”, disse. Santos deve ser levado ainda nesta quinta-feira (31) para a penitenciária.

A reportagem falou com o promotor de justiça Jui Bueno, representante do Ministério Público neste julgamento. “Dentre os quesitos que foram apresentados aos jurados, apenas um deles não foi acolhido conforme proposta do Ministério Público, que foi com relação à qualificadora do homicídio tentado contra a vítima Lucas Saltiva, as outras pretensões do Ministério Público foram acolhidas. Então, estamos parcialmente satisfeitos com o resultado do tribunal, embora em sua maioria tenha reconhecido o homicídio da vítima Isabel, inclusive a qualificadora que consideravelmente agravou a pena. Satisfeitos especialmente com a postura do juiz em haver reconhecido uma postulação antiga nossa, que é a imediata execução da pena quando da condenação pelo tribunal popular”, afirma.

Nas redes sociais, Enilza Ramires Saltiva que é tia de Isabel dos Santos Saltiva, publicou um texto sobre o sentimento de alívio após o término do júri popular que acompanhou por quase oito horas. Os pais da criança não foram ao julgamento porque, segundo Enilza disse à reportagem, eles não teriam condições emocionais. Em sua publicação, ela escreve: “Graças as Deus e a aquele promotor que prometeu a mãe que daria o seu melhor naquele júri realmente ele fez... A justiça foi feita e não a vingança como disse aquele advogado.... Nós da família nunca desejamos vingança e sim justiça que é completamente diferente. Agradeço a todos os amigos que estiveram lá e torceram junto conosco. Foi um dia difícil, mas Deus jamais nos abandona!!!!”.

Jânio Jorgino dos Santos após conceder seu depoimento durante julgamento nesta quarta-feira (30). Foto: Hugo Leal/JPNEWS

Deixe seu Comentário