Rádios On-line
Caminhão de Prêmios Urna Interna
DIFICULDADE

Falta de especialistas é apontada como causa da demora de exames e consultas

Apesar do salário atrativo, de R$ 20,1 mil, Três Lagoas tem carência de 42 médicos para atender pelo SUS

28 ABR 2018 - 10h:00Por Ana Cristina Santos

 A demora em conseguir realizar uma consulta ou exame em determinadas áreas pelo Sistema Único de Saúde (SUS), em Três Lagoas, deve-se à falta de médicos especialistas. De acordo com levantamento da Secretaria Municipal de Saúde, atualmente, existe uma carência de 42 profissionais no município.

Segundo a secretária de Saúde, Maria Angelina Zuque, apesar de o “salário ser atrativo”, médicos especialistas não demonstram interesse em trabalhar em Três Lagoas. O salário para uma carga horária de 40 horas semanais chega a R$ 20,1 mil -“ um dos maiores do Brasil”, disse a secretária. “Temos oferecido contrato de 40 horas como um atrativo para que o profissional consiga se estabelecer na cidade. Com um ano, trazendo esse profissional com um contrato assim, ele consegue criar um vínculo com a comunidade e abrir o seu próprio consultório - daí dispensa um vínculo conosco e começa a ter sua vida própria. Essa é uma forma de atrair o profissional para que ele se fixe aqui, mas que não tem funcionado”, disse.  

De acordo com levantamento feito pela secretaria, entre as necessidades de contratações estão: Angiologista vascular, dermatologista, endocrinologista, gastroenterologista e neurologista, entre outros (veja na tabela ao lado). “Todas as especialidades em que o profissional é mulher temos problemas, porque a população de profissionais da saúde é extremamente jovem e as mulheres estão em idade fértil. Todo mês temos profissionais de diversas áreas saindo de licença gestacional”, revelou.

A secretária informou que as vagas para a contratação desses especialistas estarão disponíveis no edital do concurso público que a administração municipal vai realizar ainda neste semestre. Ainda segundo Maria Angelina, existem alguns médicos especialistas nas áreas que o município tem carência, mas que não querem atender pelo SUS. “Têm muitos profissionais que já têm sua clientela, suas clínicas e não demanda tempo suficiente para atender pelo poder público que, mudou. O profissional não pode mais só passar pelo serviço, ele tem que cumprir uma determinada carga horária”, justificou a secretária, ressaltando que, esse pode ser um dos motivos de “afugentar” os médicos da rede pública de Três Lagoas.

CÂMARA
O atendimento na área da saúde em Três Lagoas continua sendo um dos setores com maior número de reclamações na cidade. Isso é o que ficou demonstrado na sessão desta terça-feira (24) da Câmara de Vereadores de Três Lagoas. Demora em agendar consultas, para conseguir realizar exames, entre outros atendimentos, foram os principais assuntos debatidos pelos vereadores na tribuna. Parlamentares disseram que têm recebido inúmeras reclamações da área da saúde. 

Ainda de acordo com a secretária de Saúde, alguns exames são realizados em Campo Grande, que é referência de todos os municípios do Estado. O agendamento é feito por meio da Central de Regulação. A intenção, segundo Maria Angelina, é que alguns exames e atendimentos possam ser feitos em outros municípios que ofereçam o serviço. Para isso, disse que está sendo revista a pactuação com os municípios da macrorregião de Três Lagoas.

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13