Rádios On-line
AUXÍLIO

Famílias carentes de MS terão cartão no valor de R$ 200

Somente em Três Lagoas 17 mil famílias estão cadastradas no CadÚnico

5 ABR 2021 - 18h:00Por Ana Cristina Santos

Para ajudar as famílias de baixa renda nesse momento de pandemia, em que muitas pessoas estão desempregadas e passando por dificuldades, o governo de Mato Grosso do Sul criou o programa “Mais Social”, que vai conceder um benefício de R$ 200,00 mensais às pessoas de baixa renda, por meio de um cartão exclusivo para a realização de compras.

Somente em Três Lagoas, de acordo com o Cadastro Único (CadÚnico), do governo federal, tem17 mil famílias consideradas de baixa renda- aquelas com renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa. Ainda segundo o CadÚnico, que reúne informações socioeconômicas das famílias brasileiras de baixa renda, até dezembro de 2020, Três Lagoas tinha 4.350 famílias com renda per capita de até R$ 89, 2.455 com renda per capita entre R$ 89 e R$ 178, 5.019 com renda per capita entre R$ 178 e meio salário mínimo.

O novo programa do governo vai ampliar a cobertura que já era feito pelo “Vale Renda”, que hoje atende 30 mil famílias, com o valor de R$ 180,00. As famílias que já eram beneficiadas serão transferidas gradativamente para o "Mais Social".

O projeto, apresentado na semana passada pelo Executivo Estadual, foi aprovado na Assembleia Legislativa, e sancionado nesta segunda-feira (5), pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB).

O novo programa vai ampliar a cobertura que já era feito pelo “Vale Renda”, que hoje atende 30 mil famílias, com o valor de R$ 180,00. As famílias que já eram beneficiadas serão transferidas gradativamente para o "Mais Social", que proíbe a aquisição de bebidas alcóolicas e produtos à base de tabaco, sob pena de exclusão do beneficiário do programa.

O programa vai abranger todos os municípios do Estado, tendo o objetivo de promover a segurança alimentar e assim ampliar o acesso a rede de serviços públicos.

A secretária de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho, Elisa Cleia Nobre, explicou que as famílias não precisam se deslocar a nenhum endereço para fazer cadastro ao novo benefício e que equipe da secretaria vai até a casa delas. “Será uma busca ativa. Nossas equipes visitarão os endereços que já estão no Cadastro Único (CadÚnico)”.

Deixe seu Comentário