Rádios On-line
DEMANDA

Fila de espera do SUS prejudica pacientes de Três Lagoas e região

Município tem demanda reprimida de 15 mil procedimentos na área da saúde e não recebe recursos necessários para atendimentos

30 JAN 2017 - 11h:30Por Ana Cristina Santos

Três Lagoas tem uma demanda reprimida de aproximadamente 15 mil procedimentos de pacientes que aguardam por consultas, exames e cirurgias. A demanda vem da gestão passada, mas a atual administração está em busca de soluções para reduzir a fila.  Alguns pacientes aguardam há anos pela realização dos procedimentos. Em alguns casos, recorrem ao Poder Judiciário para conseguir o atendimento. A nova administração busca solução para acabar com essa judicialização.

O  total de procedimentos, não significa o mesmo número de pacientes, uma vez que tem pessoas que necessitam de fazer mais que um. Na lista constam pacientes da cidade e dos municípios vizinhos, que também são atendidos em Três Lagoas, que é considerada macrorregião no atendimento para os pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). 

Segundo o secretário de Saúde, Cassiano Maia, essa demanda existe porque a gestão passada não conseguiu atender todos os procedimentos solicitados. O grande problema, conforme Maia, é que Três Lagoas não tem recebido os recursos necessários para atender a demanda real de pacientes dos dez municípios.

Maia disse que a Secretaria Estadual de Saúde precisa rever a PPI (Programação Pactuada e Integrada), que define os valores que o município referência, no caso Três Lagoas, recebe para atender os pacientes das cidades da região. “Os recursos que Três Lagoas recebe não vêm de uma demanda real, e sim para a pactuada, que é bem menor. As cidades cada vez mais mandam pacientes e os recursos estão estagnados, e às vezes, nem ocorrendo . Trabalhamos com um déficit muito grande”, disse o secretário em referência aos valores que vem de acordo com a PPI, que é de 2007. 

DEMANDA
Em relação a consultas, a maior procura é na área de oftalmologia que, atualmente, tem 1.777 procedimentos reprimidos. Seguido por neurologia, com 1.341, angiologia com 966, endocrinologia; 851 e otorrinolaringologia com 644.

Para os exames, as maiores demandas são: transvaginal, com 2.276 procedimentos reprimidos, ecocardiógrafia, 2.127; endoscopia, 1.521; tomografia, 1.255 e ressonância magnética com 721. As demandas  nas áreas de cirurgia são: hérnia com 414 procedimentos; vesícula biliar, 326; catarata, 119; hemorroida, 38, e ortopedia /joelho, com 56.

De acordo com o secretário de Saúde, algumas medidas estão em andamento para diminuir essa demanda. Entre elas, a posse de médicos especialistas- dois já foram empossados. Além disso, a compra de alguns exames também deve ocorrer. Cassiano e o prefeito Ângelo Guerreiro (PSDB) já se reuniram nesta semana com o secretário estadual de Saúde para discutir essa situação. Para reduzir a demanda, Três Lagoas deve receber neste ano novamente a Caravana da Saúde – ação do governo do Estado para reduzir a fila de pacientes em busca de atendimento.

Deixe seu Comentário