Rádios On-line
CENÁRIO RCN

Financiamento imobiliário é melhor opção, analisa empresário do setor

Entrevista foi ao “Cenário RCN – Desafio e Perspectivas para 2018”, série de programas do Grupo RCN de Comunicação

25 FEV 2018 - 07h:00Por Tatiane Simon

A roda da economia parece voltar a girar em Três Lagoas. Exemplo disso é o setor da construção civil - um dos ramos que mais empregou moradores de Três Lagoas entre 2013 e 2015, puxado,principalmente, pela força das obras em indústrias de celulose da cidade -  e, que, agora, volta a ganhar destaque graças às construções de imóveis residenciais.

Em entrevista ao “Cenário RCN – Desafios e Perspectivas 2018” série de programas do Grupo RCN de Comunicação, o empresário Fernando Jurado, proprietário da Cinco Construtora, avalia que quem veio a Três Lagoas para trabalhar em anos anteriores e manteve-se na cidade, investe agora na realização do sonho da casa própria. “Pessoas com perfil de renda de até R$ 5 mil e que têm o sonho de ter a casa própria acabam adquirindo graças ao programa do governo federal, o Minha Casa, Minha Vida”, avalia.

Jornal do Povo - Acredita que haverá mais pessoas interessadas em realizar o sonho da casa própria neste ano em relação a 2017?

Fernando Jurado - Costumo dizer que o Minha Casa Minha Vida, já não é mais um programa de governo, e sim, de estado. A gente tem certeza que o programa vai continuar. Apesar das dificuldades cada vez maior de financiamento público do programa. As pessoas que compraram casas anos atrás se beneficiaram de facilitações maiores que hoje. Também em virtude da liberação do FGTS inativo, feito durante o governo Temer no ano passado. Isso, hoje, acabou tendo um peso também na questão da aquisição dos imóveis, pois o comprador não tem mais o fundo de garantia para somar no momento de dar entrada no imóvel.

JP - Ficou mais difícil por  que aumentou a burocracia?

Jurado - Exato. A partir do momento que os bancos já não possuem grande estoque para fazer esse financiamento, então começa a tratar de forma mais seletiva para quem irá ‘emprestar’ o dinheiro. Está mais burocrático, mas o programa é o mais viável para quem deseja adquirir a casa própria.

JP - Hoje há estoque de condomínios populares em Três Lagoas. É é hora de investir em condomínios luxuosos?

Jurado - Considerando o PIB de Três Lagoas, avalio que há espaço para todos os públicos. Temos condições de continuar construindo a partir do Minha Casa, Minha Vida, mas temos também para construção de imóveis de médio e alto padrão. Na Cinco, trabalhamos bastante com o segmento de renda de R$ 5 mil, mas acredito que há espaço para outras construtoras, na cidade, com vocação para explorar o segmento mais luxuoso. 

JP - Como foi cenário da construção civil em Três Lagoas em 2017?

Jurado - O cenário da construção civil, assim como vários outros, passou por fortes problemas nesse ano. A questão histórica dos indicadores da construção civil mostra que em 2010, o crescimento do setor a nível nacional foi de 14% ao ano. Se pegarmos os dados de 2014, percebemos que o crescimento do setor ficou no patamar de 4.2% negativo. Isso refletiu também em Três Lagoas, que apesar da pungência da economia, sofremos muito com o cenário político e econômico do Brasil nos últimos 2 anos. Só para se ter uma ideia, em 2014 e 2015 foram os melhores anos em relação à venda imobiliária. Minha empresa, por exemplo, chegou a vendar 86 mil imóveis. Esses números caíram bastante em 2016 e começa a retomar em 2017. Para 2018, a expectativa é que volte a aquecer de uma vez por todas.

Deixe seu Comentário