Rádios On-line
FACÇÃO CRIMINOSA

Fórum de Três Lagoas tem segurança reforçada após supostas ameaças de ataques

Equipes da PM se revezam diariamente em frente ao prédio para garantir segurança contra facção criminosa

30 AGO 2017 - 13h:00Por Kelly Martins

Depois de supostas ameaças e especulações sobre ataques a fóruns de diversos estados do país, inclusive Mato Grosso do Sul, por uma facção criminosa, no mês de agosto, foi solicitado reforço na segurança, em Três Lagoas. O pedido é do próprio Poder Judiciário ao 2° Batalhão da Polícia Militar. Desde segunda-feira (28), policiais militares realizam rondas e estão de prontidão no período da noite e madrugada, em frente ao fórum criminal do município. 

Ao JPNEWS, o comandante do 2° Batalhão, coronel James Magno, informou que recebeu a solicitação da diretoria do fórum e a força-tarefa iniciou nesta semana. Não há data para encerrar. A equipe de reportagem esteve no local e a informação foi confirmada. Segundo o secretário de coordenação do fórum do município, Jordane Menezes, trata-se de uma medida de prevenção que visa garantir a segurança na região e proteger o depósito de armas apreendidas durante ocorrências criminais. O armamento fica guardado em uma das salas no prédio e, em outros estados, tem sido o principal alvo de integrantes de facções.

"O pedido foi algo comum e tem o objetivo de proteger o Poder Judiciário local, apesar de não haver muitas armas por aqui", explicou o secretário. Ele destacou também que no mês de junho mais de 400 armas, de uso restrito de grosso e menor calibre, foram recolhidas por militares de Campo Grande e encaminhadas para o Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJMS). Procedimento que, conforme Menezes, é realizado a cada seis meses. Ainda de acordo com o secretário, o fórum de Três Lagoas não recebeu denúncia ou ameaça. 

Uma das motivações para o reforço no policiamento também se dá pelo "aniversário" de fundação da facção, comemorado em dia 31 de agosto. Os integrantes, em muitos lugares, festejam a data com ordens de execução e crimes. Também há informações sobre supostas mensagens de detentos em presídios no estado, que são membros de facções e exigem transferências, anunciando ataques a fóruns em delegacias.

Em junho, o fórum de Diadema, interior paulista, foi alvo de criminosos. Quase 400 armas foram levadas, na ocasião. 

Deixe seu Comentário