Rádios On-line
Caminhão de Prêmios Urna Interna
SEM PREVISÃO

Governo corta recursos de obras da BR-262 e do contorno

Obras de restauração da BR-262 e do anel rodoviário de Três Lagoas seguem sem previsão para início

23 JUN 2018 - 07h:38Por Ana Cristina Santos

Duas obras importantes para Três Lagoas e região foram prejudicadas por cortes no orçamento do governo federal para este ano. Os R$ 50 milhões destinados às obras do anel rodoviário, que irá desviar o tráfego de veículos pesados da avenida Ranulpho Marques Leal, e os R$ 149 milhões reservados para a restauração da BR-262, que liga Três Lagoas a Campo Grande, foram cortados. 

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) de Mato Grosso do Sul confirmou que não dispõe de recursos para a restauração da BR-262. “O Dnit confirma que o orçamento da LOA 2018 veio a quem do necessário para a restauração da rodovia”, confirmou o órgão em nota.

Os senadores Pedro Chaves (PRB) e Waldemir Moka (MDB) já haviam confirmado na semana passada que o orçamento de 2018 não dispõe de recursos para a execução desta obra, neste momento. E que, caso houvesse sobra de recursos poderia ser realocado para essa restauração.

EM CAIXA
O Dnit tem apenas R$ 11 milhões em caixa para iniciar a restauração, mas não dispõe dos R$ 149 milhões para a execução total da obra que, foi licitada no ano passado, e teve o Consórcio Ethos/Pavidez/Spazio, vencedor do processo.

O departamento ainda vai tentar iniciar a obra com esse valor em caixa, no entanto, precisa convencer a empresa de que, após o início, o governo federal deve liberar os recursos, conforme a execução.  Outra situação preocupante, é que o Dnit também dispõe de um valor pequeno para a manutenção da rodovia, que tem pavimento bastante desgastado.   “Como relator do Orçamento faremos tudo, se não puder ser feito agora, que seja feito em 2019”, disse Moka, ressaltando que existe escassez de recursos por parte da União.

As melhorias na rodovia BR-262, única ligação entre Três Lagoas e a capital Campo Grande, são reivindicações antigas de motoristas, bem como das autoridades políticas, principalmente pela quantidade de acidentes com vítimas na pista. O projeto consiste na restauração completa da rodovia, implantação de 32 quilômetros de terceira faixa e construção de remanescente de acostamento de Três Lagoas até o Assentamento Mutum, pouco à frente de Água Clara.

CONTORNO
A obra do contorno estava prevista para ser licitada em novembro deste ano. O projeto executivo com todos os detalhes do anel rodoviário, incluindo o trajeto e valor, está em fase final de conclusão, e deve ser entregue ao Dnit em agosto. O projeto foi custeado pelas empresas de celulose instaladas em Três Lagoas. O projeto do anel rodoviário começou a ser discutido em 2009. A intenção dessa obra é desviar o tráfego de caminhões pesados da avenida Ranulpho Marques Leal, rodovia que corta a cidade. O Dnit tentará incluir essa obra no orçamento de 2019. 

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13