Rádios On-line

Governo reconhece situação e emergência em Costa Rica

Prefeito eleito disse que assim que assumir vai pleitear a rápida liberação dos recursos federais

28 DEZ 2012 - 07h:38Por Costa Rica em Foco

O governo federal reconheceu o “estado de emergência” em Costa Rica, em razão da erosão que fez desmoronar parte de um trecho da avenida Ferreira da Costa, prejudicando o acesso de moradores à cidade. 

A decisão foi publicada ontem no Diário Oficial da União. A erosão também ameaça “engolir” o Centro de Convenções Ramez Tebet.

O prefeito, Jesus Baird (PMDB), culpa administrações passadas de provocar o problema, com a concentração de loteamentos em um único sistema de captação de águas pluviais.

O trecho que desmoronou dá acesso à MS-135. A formação do buraco acabou isolando os bairros Vale do Amanhecer, Jardim Afonso e região do Parque Industrial, o que trouxe vários transtornos aos moradores dessas localidades.
Um levantamento realizado pela prefeitura com apoio da Coordenadora Estadual de Defesa Civil (Cedec) identificou prejuízos no valor de R$ 5,3 milhões. Após elaborar um processo solicitando a declaração de situação de emergência, a prefeitura e a Defesa Civil remeteram a documentação ao governo federal, que reconheceu o pedido.

A prefeitura aguarda a liberação dos recursos para iniciar as obras de recuperação da avenida. De acordo com informações da Defesa Civil, choveu o equivalente a 100 milímetros na região, o que deixou a situação ainda mais crítica. Se não houver uma rápida intervenção, o Centro de Convenções Ramez Tebet pode ser tragado pela voçoroca.

O secretário municipal de Transportes, Urbanização e Obras Públicas, Paulo José Silva, no entanto, considera que “o problema não é tão grave como está sendo divulgado”, mas admite que começou há pelo menos nove anos e foi sendo “empurrado” em razão da falta de recursos. 

Paulo José Silva disse que a Secretaria de Transportes, Urbanização e Obras Públicas já concluiu o projeto de contenção emergencial, orçado em R$ 300 mil. A erosão tem profundidade de cerca de 20 metros de largura e extensão de 40 metros. 

O secretário disse que o processo erosivo tem “duas raízes”: atrás do Centro de Convenção e na avenida que teve parte do asfalto levado pela enxurrada provocada pela chuva do último domingo. 

Para o atual prefeito, houve “uma sucessão de erros” na urbanização da parte da cidade onde está instalado o centro de convenções. No local, foi construída uma galeria para atender um núcleo habitacional. Logo depois, o sistema passou a ser usado por mais 10 loteamento e a rede de água pluvial acabou estourando. O prefeito eleito, Waldeli Rosa (PR), disse que assim que assumir vai pleitear a rápida liberação dos recursos federais.

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13