Rádios On-line

IP deve investir US$ 300 milhões na ampliação de fábrica

Ampliação da fábrica em Três Lagoas marca ingresso da IP no mercado de papel ao setor gráfico

1 MAR 2013 - 07h:53Por Divulgação

A International Paper iniciou estudos para a compra de uma segunda máquina em projeto de ampliação da fábrica de Três Lagoas. O anÚncio foi feito ontem pelo novo gerente geral da fábrica, Marcelo Nale. Segundo ele, a decisão sobre os investimentos, de aproximadamente US$ 300 milhões, ainda depende de análises sobre a variação cambial e pesquisa de mercado. Hoje, a IP produz papel cortado, não revestido. Com a ampliação, vai ingressar no mercado de papel destinado ao setor gráfico, fornecendo bobinas. 

No ano passado, a companhia entrou no mercado de embalagens, mas a fábrica de Três Lagoas manterá sua linha de produção voltada ao segmento de papel sulfite (Chamex), com a projeção de entrada no mercado do setor gráfico, com papel cortado e em bobinas (Chambril). Segundo Marcelo Nale, em 2012, o principal investimento, em torno de US$ 500 milhões, foi destinado à compra de ativos da Jari Celulose Papel e Embalagens, empresa do Grupo Orsa. A transação, resultou na criação de uma joint venture, que já opera desde janeiro.

O negócio dá suporte à estratégia da IP de crescimento quanto à sua presença global no setor de embalagens a fim de melhorar ainda mais os serviços aos seus clientes ao redor do mundo. A IP está presente em 24 países e emprega, hoje, em todo o mundo, 68 mil funcionários. No Brasil são 2.600, mas o quadro deve chegar a 5.500 com a joint venture e as ampliações. Na fábrica de Três Lagoas, o quadro de empregados diretos deve saltar dos atuais 220 para 440. Os terceirizados aumentariam de 140 para 280. 

RECORDE DE PRODUÇÃO
A fábrica da IP em Três Lagoas, única construída “do zero” fora dos Estados Unidos, registrou recorde de produção no ano passado, extrapolando a capacidade instalada de 200 mil toneladas/ano. Foram produzidas mais de 230 mil toneladas de papel em 2012. 

Toda a matéria-prima é adquirida ao lado, da fábrica de celulose da Fibria, por força de contrato, que prevê a agregação de valor à celulose produzida no município pelos próximos 90 anos. Segundo o gerente geral da fábrica, 90% da produção de papel são destinados ao mercado interno. Outros 10% à América Latina.
 
O planejamento para a compra da segunda máquina para a fábrica de Três Lagoas visa também atender ao mercado interno. Os estudos incluem a prospecção de mão de obra técnica. A companhia deve firmar convênio novamente com o Senai, que na primeira linha capacitou técnicos em produção de papel e manutenção de máquinas. A ideia é buscar a mão de obra no próprio município.
 
TECNOLOGIA
 
A fábrica da IP em Três Lagoas tem uma das tecnologias mais avançadas na produção de papel. A máquina produz bobinas de 40 toneladas a uma velocidade de 80 km/h - cerca de 1.230 metros de papel bobinado por minuto. “Produzimos um rolo de 100 quilômetros a cada hora”, diz o novo gerente geral da International Paper em Três Lagoas, Marcelo Nale.
Formado em engenharia de produção química pela Universidade de São Carlos (SP), o gerente geral da fábrica da IP trabalha na companhia há 18 anos. Atuou por 10 anos na unidade de Mogi Guaçu e há 8 anos dedica-se ao projeto de Três Lagoas. Começou na unidade local como engenheiro de processo de produção. Em 2005, tornou-se gerente de máquinas e participa desde então dos estudos de custos, compra e construção. Em 2009, assumiu a gerência técnica e em seguida a gerência de produção. A partir de janeiro deste ano, assumiu a gerência geral.
Em café da manhã com jornalistas nesta quinta-feira, 28 de fevereiro, Marcelo Nale destacou os números da IP, apontando o faturamento de US$ 25 bilhões de dólares da companhia em todo o mundo. No Brasil, onde emprega 2.600 funcionários, o faturamento de 2012 foi de US$ 1 bilhão e 100 milhões.
Ele também citou o acordo com a transferência de ativos que permite à IP atuar no mercado de embalagens por meio de suas outras unidades (exceto Três Lagoas), que ampliará o quadro de funcionários para 5.500, além da projeção de ingresso da fábrica de Três Lagoas no mercado de papel ao setor gráfico.
Outro grande investimento mencionado por Nale foi a compra de uma caldeira que garante a produção de energia a partir da biomassa, com potência capaz de alimentar com eletricidade uma cidade de 40 mil habitantes. Foram investidos US$ 90 milhões em equipamentos. A IP, disse Marcelo Nale, é signatária de todos os princípios socioambientais e manifesta seu compromisso com a sustentabilidade. Um exemplo disso são os investimentos na geração de energia renovável. A companhia foi eleita uma das 150 melhores empresas para se trabalhar e a melhor para iniciar uma carreira profissional.

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13