Rádios On-line
LIGAÇÃO DE PAÍSES

Liberação de recursos para construir ponte bioceânica depende de Itaipu

Carlos Marun diz que conselho da hidrelétrica, composto por brasileiros e uruguaios - deve avaliar financiamento do projeto

27 OUT 2018 - 08h:02Por Ronie Cruz

A construção da ponte bioceânica que deve ligar o Brasil e o Paraguai no município de Porto Murtinho, em Mato Grosso do Sul, depende da análise do conselho da Usina Hidrelétrica de Itaipu, que ficará responsável pelo financiamento da obra, conforme afirmou nesta sexta-feira (26) o ministro da Secretaria de Governo da Presidência da República, Carlos Marun. O anúncio foi após uma reunião em Campo Grande com deputados federais e senadores, além do superintendente regional do Departamento Nacional de Infraestrutura e Trânsito (Dnit) Thiago Carim Bucker e do prefeito do município Derlei Delevatti (PSDB), para decidir o destino dos R$ 57 milhões da emenda que estava prevista para a dar início à obra. 

A ponte prevista para ser concluída em entre 2021 e 2022 e está estimada em R$ 280 milhões. Segundo Carlos Marun, o presidente Michel Temer (MDB) tem pressa para começá-la ainda neste ano, portanto, antes da transição de governo, já que ela faz parte de um pacote de ações "Desafio Chave de Ouro", que inclui também as obras do anel viário de Campo Grande e empreendimentos em vários estados do país. São obras para iniciar, continuar ou concluir nos últimos 45 dias do governo Temer.  

Por estar incluída no projeto da Rota Bioceânica, a ponte em Porto Murtinho já era tratada como prioridade pela bancada federal de Mato Grosso do Sul em Brasília que já havia previsto no orçamento geral da união a verba inicial de cerca de R$ 57 milhões. No entanto, a falta de um projeto básico da obra impede que o recurso seja utilizado ainda neste ano. “O projeto básico de uma ponte dessa no Pantanal, que envolve um licenciamento prévio ambiental, não sai em menos de dois anos. Ou seja, não é possível empenhar esse recurso neste ano porque recursos do orçamento só podem ser empenhados no momento em que a obra estiver contratada”, explicou. 

Para o governo que tem pressa para iniciar as obras só resta uma saída: viabilizar o financiamento utilizando recursos da Usina de Itaipu. Possibilidade já negociada em acordo com o governo paraguaio. As tratativas começaram no segundo semestre deste ano entre os dois países para que duas novas pontes internacionais fossem custeadas com recursos da usina binacional. 

Conforme informou o ministro Marun, o acordo entre os dois governos foi firmado na segunda-feira (22) para viabilizar o financiamento das novas pontes, uma que vai ligar Puerto Meira (PY) a Porto Franco (PY), nas imediações de Foz do Iguaçu (PR), e a outra que vai ligar Porto Murtinho (MS) a Carmelo Peralta (PY)

Deixe seu Comentário