Rádios On-line
OPINIÃO

Lista estadual de reivindicações

Leia editorial do Jornal do Povo deste sábado

24 NOV 2018 - 10h:47Por Da redação

O governador Reinaldo Azambuja se encontrou, nesta semana, pela primeira vez depois das eleições, com o presidente eleito Jair Bolsonaro, em Brasília, e levou em mãos ao menos duas das mais importantes reivindicações de Mato Grosso do Sul, de seus setores mais sensíveis: logística de transportes e segurança pública. Para os dois setores, pedidos igualmente caros e difíceis de serem executados.

Azambuja pediu a blindagem da fronteira seca do Estado com Bolívia e Paraguai como estabelecimento atrasado e definitivo de uma barreira contra o tráfico de drogas, armas e cigarros, além do contrabando de milhares de mercadorias. Na campanha eleitoral deste ano, ambos desfiaram promessas de ampliação dos investimentos em segurança. Com a formalização do pedido, a reivindicação ganha contorno de realidade, mesmo que dispendiosa. 

Azambuja e Bolsonaro sabem que a fronteira seca está escancarada há muitas décadas. Por lá escoa, por exemplo, o armamento que abastece grupos de criminosos que mantém a violência em grandes centros do país. Por lá entra grande parte da droga que rega o consumo na maior parte do país. 

O governador deixou bem claro ao futuro chefe da Nação que Mato Grosso do Sul paga o preço de ser corredor de passagem de bandidos. Os números da violência, execuções, assaltos e o aliciamento de cidadãos são exemplos fáceis. E é por isso que a cobrança começou tão cedo, antes da posse.

A modernização da logística de transportes também tem custo elevado, que deve ser dividido com a iniciativa privada, para escoamento das riquezas produzidas no Estado e em parte do Centro-Oeste. O principal obstáculo, então, deve ser o da negociação com as empresas que exploram o transporte ferroviário. A iniciativa privada não quer investir sem ter garantia de que seguirá dominando o setor. 

Bolsonaro ouviu e disse que as reivindicações são justas. A nomeação de dois ministros do Estado, para a Saúde e a Agricultura, pode estar no pacote da compreensão de ações da União, necessárias a Mato Grosso do Sul e ao país.

 

Deixe seu Comentário