Rádios On-line

Misto é desclassificado e jogo termina em conflito

Radialista está internado em estado grave depois de tumulto generalizado

9 ABR 2013 - 07h:19Por Angelo de Oliveira / Ivihoje

O Misto viajou para Ivinhema com a vantagem até de perder por um gol de diferença que mesmo assim se classificaria. No começo do jogo, foi o que se viu, um time determinado a voltar para casa com a classificação garantida. Logo no início, Mailson acertou um chute de fora da área e colocou o Misto em vantagem, garantindo de forma mais tranquila a classificação. Depois disso, a equipe da casa partiu para cima em busca do resultado, mas o Carcará resistia bem aos ataques do adversário. Já no segundo tempo, o que se viu em campo foi um Ivinhema determinado, querendo buscar o resultado. Aos 18 minutos, Deivid empatou o jogo. Marlon virou para o Ivinhema e, para encerrar, aos 43 minutos o juiz assinalou um pênalti, que Alex Cruz bateu e converteu, tirando o Misto da competição.

O placar agregado ficou em 5 a 5 e o Ivinhema garantiu a classificação para a próxima fase, graças à vantagem de jogar por resultados iguais.

O Ivinhema avança às semifinais e enfrentará o Cene no próximo domingo. O time da capital garantiu a passagem para a próxima fase com duas vitórias por 3 a 0 sobre o Sete de Dourados.

O sentimento da diretoria ontem era de tristeza pela não classificação, porém, reconheceu que o time foi bem e que os jogadores foram guerreiros. “Infelizmente, não foi possível a classificação, mas fomos muito bem. Estão todos de parabéns”, disse o vice-presidente do clube, Antônio Carlos Texeira.

CONFUSÃO
Após o jogo, um fato lamentável aconteceu: as torcidas de Misto e Ivinhema se enfrentaram e algumas pessoas foram agredidas covardemente. Segundo informações, a situação começou a ficar tensa logo após o pênalti convertido pelo time da casa. As informações são de que seis pessoas saíram feridas desse confronto, entre elas o radialista Adonildo Santos, que ficou gravemente ferido. Ele foi agredido com um pedaço de madeira.

ESTADO DE SAÚDE
O radialista foi transferido para a cidade de Dourados e, segundo informações de amigos e familiares que o acompanharam, ele passou por um procedimento cirúrgico e o seu estado de saúde é grave. Adonildo teve afundamento no crânio em virtude de uma forte pancada na cabeça e teve traumatismo craniano. Adonildo passou por uma cirurgia feita pelo neurologista do Hospital da Vida, Adolfo Teixeira.  Logo após, o radialista foi transferido para o Hospital Evangélico, onde permanece na unidade de terapia intensiva. As últimas informações de amigos que o acompanhavam ontem é que o estado de saúde era grave e que os médicos não divulgaram nenhum boletim oficial do estado clínico de Adonildo. A expectativa é de que seu organismo reaja para que os médicos possam dar uma posição mais detalhada da situação.

OUTROS TORCEDORES
Um torcedor da cidade de Ivinhema, identificado como Rodrigo Pereira de Souza Silva, de 25 anos, teria sofrido uma fratura na clavícula. Wilson Xavier Martins foi medicado e liberado.
Os torcedores de Três Lagoas Fernanda Espínola, 24 anos, e Alex Sander Bezerra, 30 anos, foram liberados na noite de ontem, após serem atendidos no Hospital Santa Maria. Ainda constam na ocorrência de número 286/2013 os nomes de outras duas vítimas: Elias Maciel dos Santos, de 27 anos, e Argeu da Silva Lazari, de 36 anos. Na ocorrência, não é citada a cidade de origem dos dois torcedores.

SEGURANÇA
Toda a imprensa é unânime em dizer que o policiamento do local foi insuficiente, já que era constituído de quatro ou cinco policiais – incapaz de garantir segurança em uma partida com tamanha importância. As equipes disputavam o jogo de volta das quartas de final e o time classificado foi para as semifinais do campeonato. Outro problema relatado é que havia na área interna do estádio Saraivão restos de materiais de construção como tijolos e pedaços de madeiras e, provavelmente, é o que foi usado para agredir os torcedores do Misto.

INVESTIGAÇÃO
Logo após a confusão, a perícia compareceu ao estádio em busca de pistas do que teria acontecido. Foi encontrado um pedaço de madeira no qual havia marcas de sangue. Um boletim de ocorrência foi registrado e a Polícia Civil está investigando o caso. O delegado, Dr. Ricardo Henrique Cavagna, ouviu várias pessoas no dia de ontem em busca de informações sobre o que realmente aconteceu.

INTERDIÇÃO
A Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul já tomou a primeira providência em relação ao ocorrido. O presidente Francisco Cezário de Oliveira baixou a seguinte resolução interditando o Estádio Luiz Saraiva Vieira “Saraivão”:
RESOLUÇÃO DA PRESIDÊNCIA - RDP Nº 004/2013   
RESOLVE:
Art. 1º - Interditar administrativamente, até a completa apuração dos fatos e eventuais reparos à praça esportiva, o Estádio Luiz Saraiva Vieira (Saraivão), localizado na cidade de Ivinhema.
Art. 2º - Solicitar a imediata emissão de um novo Laudo de Segurança do Estádio Luiz Saraiva Vieira (Saraivão) pela Polícia Militar, apontando a solução dos problemas apurados.
Art. 3º - Transferir o jogo nº 93, entre as equipes do Ivinhema Futebol Clube e Clube Esportivo Nova Esperança, a ser realizado no dia 14.04.2013 às 15 horas, para o Estádio Fredis Saldivar (Douradão).
Art. 4º - Encaminhar os documentos pertinentes aos fatos ocorridos ao Tribunal de Justiça Desportiva – TJD para manifestação daquela corte.

ARBITRAGEM
Ao término da partida, o árbitro da partida, Paulo Henrique Vollkopf, relatou na súmula a ocorrência de um confronto generalizado entre torcedores e ainda que fosse informado pelo delegado da partida que um torcedor estaria em estado grave. De forma muito subjetiva, o árbitro relatou os fatos ocorridos e, por algum motivo, não se preocupou em detalhar os acontecimentos, nem mesmo quem teria iniciado a confusão ou que o estádio não teria segurança suficiente para receber uma partida desse nível.

AÇÃO
Fomos informados ontem pelo advogado André Milton Pereira que a diretoria do Misto vai ingressar com uma ação, inclusive no Ministério Público, a fim de responsabilizar os culpados por todos os danos ocorridos. Segundo ele, tanto a federação quanto o Ivinhema tem responsabilidade no episódio por não oferecerem condições adequadas para a partida.

Antonio Carlos Teixeira e o advogado do clube informaram que assim que souberam do acontecido foram para o hospital a fim de prestar solidariedade aos familiares de Adonildo, mas que foram orientados pela polícia de Ivinhema a saírem da cidade sob risco de sofrerem algum atentado por parte dos torcedores do time local.

Deixe seu Comentário

RCN LIVE EUGENIO MUSSAK

TVC Canal 13