Rádios On-line
INVESTIGAÇÃO

MPF apura abandono do patrimônio da ferrovia em Três Lagoas

ANTT imputou à América Latina Logística o descaso com o patrimônio público arrendado

2 JUL 2016 - 15h:23Por Ana Cristina Santos

O Ministério Público Federal (MPF) de Três Lagoas apura o abandono em que se encontra o patrimônio que pertencia à ferrovia na área central da cidade. A investigação é conduzida pelo procurador da república, Davi Marcucci Pracucho, que instaurou, no ano passado, um inquérito para apurar relatos de moradores da esplanada da antiga Noroeste do Brasil (NOB) denunciando o descaso, bem como após matérias jornalísticas sobre o assunto.

Em despacho com data desta quinta-feira (30), o procurador relata que, algumas medidas já foram, e outras serão adotadas para a preservação dos imóveis e móveis integrantes da área da Estação ferroviária de Três Lagoas e suas oficinas, inaugurada em 31/12 de 1912, que estejam sob a responsabilidade do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (Dnit) ou da concessionária.

Em resposta ao ofício encaminhado pelo MPF, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) imputou à América Latina Logística (ALL) o “descaso com o patrimônio público arrendado”. A ANTT diz ainda ter e cobrado providências por parte da concessionária em relação ao patrimônio localizado no perímetro urbano, em que consta pátio com 32 desvios suprimidos, seis edificações invadidas, 11 edificações em mau estado, quatro edificações não localizadas e seis demolidas.

 A ALL alegou que, desde a construção do contorno ferroviário ela deixou de utilizar esse espaço onde se encontra a antiga estação ferroviária e que já havia solicitado a desincorporação do espaço anteriormente operado. Além disso, justificou que o Dnit já teria autorizado à prefeitura utilizar o espaço para a instalação da sede da Assessoria Especial de Cultura para atividades socioculturais e educativas, e que só estaria no aguardando a manifestação da ANTT.

“Estamos buscando informações mais atualizadas sobre isso, mas uma das nossas linhas de investigação é apurar o envolvimento da concessionária e da ANTT, e todas as entidades envolvidas com deveres da conservação. Vamos apurar de quem é a falha para que esse patrimônio chegasse a essa situação e quais providências serão tomadas”, destacou Davi Marcucci Pracucho.

Ainda de acordo com o procurador, em razão da situação em que se encontra todo esse patrimônio, esse inquérito foi colocado como prioridade. No mês passado, desconhecidos atearam fogo em roupas e papéis em uma das salas do prédio da antiga estação, que está em completo estado de abandono e tem sido alvo de vândalos.

O prédio está cheio de sujeira e com mau cheiro insuportável. Portas e janelas foram quebradas, e a cada dia a antiga estação, que faz parte da história de Três Lagoas, vai sendo destruída.

Deixe seu Comentário