Rádios On-line
DESAFIO

Município enfrenta dificuldades com infraestrutura urbana e saúde pública

Vencer esses desafios não é tarefa fácil, mas o prefeito Ângelo Guerreiro admite que os problemas precisam ser enfrentados

6 MAI 2017 - 07h:44Por Ana Cristina Santos

Infraestrutura e saúde. Esses são os principais desafios da administração do prefeito Ângelo Guerreiro (PSDB). A carência de pavimentação asfáltica, acarretada pela falta de drenagem, nos bairros e a melhora da qualidade e quantidade dos serviços que são oferecidos ao cidadão na área da saúde pública, são duas prioridades apontadas, inclusive pelo próprio prefeito, que promete priorizar ações que possam promover as melhorias necessárias e exigidas pela população. Vencer esses desafios não é tarefa fácil, mas Guerreiro admite que precisa ser enfrentado. 

O principal problema na área de infraestrutura de Três Lagoas é a falta de drenagem para a captação de águas pluviais. A cada chuva forte que cai na cidade, ruas e avenidas ficam alagadas, causando transtornos aos pedestres e motoristas. A falta de investimento no setor e até de planejamento urbano acabou ampliando o problema. Estudo realizado pela administração passada aponta que seriam necessários cerca de R$ 100 milhões para resolver os principais problemas de drenagem na cidade. Segundo a administração atual, esse montante financeiro hoje, estaria na casa de R$ 300 milhões.  

Nos últimos 15 anos, as administrações municipais conseguiram resolver vários problemas de alagamento nas vias. Ocorre que, a cidade apresentou um crescimento territorial considerável, dificultando ao poder público levar infraestrutura adequada aos novos bairros. 

Os moradores por sua vez, cobram do poder público, providências para a situação. O atual prefeito sabe que terá pela frente a missão de resolver o que for possível e dentro de um curto período. Para piorar a situação, o país vive uma grave crise econômica que não colabora muito principalmente com projetos de infraestrutura. A prefeitura tenta viabilizar recursos junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para solucionar parte dos problemas dos alagamentos com obras de drenagem. 

Saúde 

Assim que assumiu a Prefeitura de Três Lagoas, em janeiro deste ano, Guerreiro iniciou a gestão percorrendo as unidades de saúde e verificando os problemas da pasta, que não são poucos. Entre as situações levantadas, destaque para a falta de medicamento nas farmácias, postos de saúde com problemas estruturais, falta de profissionais em algumas unidades, entre outras questões.

De acordo com o chefe do Executivo, medidas foram tomadas visando amenizar a situação. Primeiro ocorreu a compra emergencial de medicamentos, e alguns dos problemas detectados  foram solucionados. Apesar de alguns avanços, a situação ainda exige atenção especial. A secretária municipal de Saúde, Maria Angelina Zuque, conversou com a reportagem e explicou que, não fosse pelos trâmites burocráticos, cada vez maiores, muita coisa já poderia estar acontecendo. 

Outra situação que acaba de ser solucionada, é o mamógrafo que desde o ano passado, estaria com problemas técnicos. Para resolver essa situação, o prefeito anunciou durante a semana que conseguiu um novo mamógrafo com o governo do Estado. Ainda não foi definido quando o aparelho estará no município. 

Outra ação que deve contribuir para amenizar a situação, é a realização da segunda edição da Caravana da Saúde em Três Lagoas. A intenção é reduzir o número de pacientes na fila de espera em busca de exames por exemplo. 

 “As pessoas precisam entender que, em 120 dias, não vamos resolver tudo. Não sou milagroso, não vamos solucionar os problemas que existem há 101 anos. Nós pegamos cozinha, escola, CEI’s deteriorados, ruas sem sinalização, sem placas, sem nada. Sou muito claro, e não vou enganar ninguém”, adiantou o prefeito.

Deixe seu Comentário