Rádios On-line
AVALIAÇÃO

Obra do anel rodoviário depende de projeto e recurso, diz superintendente

Superintendente do Dnit se reuniu nesta semana com vereadores e deputado para tratar da BR-262

23 SET 2017 - 07h:53Por Ana Cristina Santos

O início da obra do contorno rodoviário que irá desviar o tráfego de caminhões da avenida Ranulpho Marques Leal, na BR-262, rodovia que corta Três Lagoas, depende da conclusão do projeto executivo e da liberação de recursos por parte do governo federal. 

O superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit), Thiago Carim Bucker, disse que essa obra deve ser licitada apenas no segundo semestre do ano que vem, porque o projeto ainda não está pronto, o que existe é estudo de viabilidade, o qual aponta a necessidade do anel rodoviário.

O projeto do anel rodoviário começou a ser discutido em 2009. Em agosto do ano passado, as empresas de celulose Fibria e Eldorado ficaram de financiar o projeto executivo dessa obra. Mas, até hoje a empresa que vai elaborar esse projeto não foi contratada.

O prazo para a conclusão do projeto executivo é de seis meses. Somente depois disso é que o Dnit poderá licitar a obra do anel rodoviário. “O projeto de restauração da rodovia começou antes do projeto do anel rodoviário, ou seja, eu tenho condições de trabalhar agora [na Ranulpho] porque eu tenho o projeto pronto, já o do anel não está”, comentou. 

Deixe seu Comentário