Rádios On-line
FILAS

Pacientes reclamam de demora na farmácia do CEM de Três Lagoas

Medicamentos controlados só podem ser retirados durante a manhã

3 MAI 2017 - 15h:26Por Sergio Colacino

Pacientes que procuraram a farmácia do Centro de Especialidades Médicas (CEM) de Três Lagoas, na manhã desta quarta-feira (3), reclamam da demora no atendimento. Por volta das 9 horas, a equipe do JPNEWS presenciou a fila e a longa espera por medicamentos. Algumas pessoas tiveram de aguardar por quase uma hora e meia.

É o caso do aposentado Reinaldo de Oliveira da Silva, de 72 anos. Ele precisou de uma 1h e 20 minutos para conseguir os remédios que a mulher dele, de 86 anos, vítima de um AVC (acidente vascular cerebral), precisa. “Só consegui ser atendido porque uma moça cedeu o lugar. Minha mulher está sozinha em casa, ela não pode ficar tanto tempo assim sozinha”, diz. A moça a quem ele se refere é Mirian Gleice, de 20 anos, que estava na fila em busca de medicamentos para a sogra dela. “Não tem fila preferencial para os idosos. Chega uma pessoa mais nova, fala que vai pedir informação e acaba pegando o remédio primeiro. Se tem novos passando na frente, por que não ceder o lugar para quem é mais idoso?”, questiona.  “Eu já estou aqui há mais de uma hora. Eu posso esperar, mas e quem é mais idoso e está aqui na fila, no sol, sem informação, sem saber se tem medicamento?”, pergunta outro paciente, incomodado com a demora.

A falta de funcionários é um dos motivos do atendimento demorado. De acordo com a farmacêutica do CEM, Manoela Bazan, o trabalho é feito por dois funcionários: um na parte da manhã e outro na parte da tarde. Além disso, no período das 12h às 17h, o espaço fica sem farmacêutico. Por isso, os medicamentos controlados só podem ser retirados de manhã. A aposentada Dirce de Oliveira Lima sofre com essa situação. “Eu tenho certeza que não vou conseguir levar todos os remédios que preciso. Remédio controlado só pega na parte da manhã. Uma hora dessas (10h), já é tarde porque até ser atendido já passou da hora”, lamenta.  O JPNEWS entrou em contato com a assessoria de imprensa da prefeitura, mas até a publicação da reportagem não teve resposta. 

Deixe seu Comentário