Rádios On-line

Para secretários, estudo sobre hidrovia Tietê-Paraná beneficiará o município

Técnicos da comissão responsável pelo levantamento estiveram nesta semana em Três Lagoas

9 MAR 2013 - 08h:23Por Redação

O governo federal vem realizando uma série de estudos com a finalidade de investir e melhorar o modal hidroviário do complexo Tietê-Paraná. Com isso, os técnicos da comissão responsável pelo levantamento estiveram nesta semana em Três Lagoas a fim de apresentar para a administração municipal o projeto de estudos de viabilidade técnica-econômica e ambiental, que visa melhorar a hidrovia Tietê-Paraná. 

Segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico, Marco Garcia de Souza, os técnicos estão percorrendo todos os municípios que englobam o complexo Tietê- Paraná, para explicar a intenção do projeto. Ele informou que o governo federal disponibilizou um recurso, através do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC II), para que se fizesse um estudo de ampliação e viabilidade da hidrovia em relação a esse complexo, que atende inteiramente Três Lagoas, uma das cidades mais bem posicionadas para a utilização dessa hidrovia. 

“A finalidade desse estudo é ver até onde essa hidrovia pode chegar com os investimentos. Não só do balizamento da própria via dentro do rio, mas também da ampliação que a hidrovia atende. A intenção é aumentar a extensão de área navegável, assim como dos seus afluentes. No caso de Três Lagoas, mais precisamente o Rio Sucuriú”, destacou Marco Garcia.

Ele informou que o estudo vai abranger não apenas os rios que dão nome à hidrovia Tietê-Paraná, mas também o rio Sucuriú para saber o que ele tem de área navegável, qual a profundidade e até onde poderia ser estendida essa hidrovia. “Com isso, poderá haver a ampliação dessa área com investimentos que o município e a região podem receber no futuro”, ressaltou.

Marco Garcia destacou que, para Três Lagoas, esse estudo é importante, já que o município estuda a possibilidade de implantar um porto fluvial na antiga Cascalheira. “O complexo Tiete-Paraná alcança hoje uma determinada distância dessa hidrovia. Sabemos que é limitado, uma vez que vai até a região do Anhembi, em Pederneiras, no rio Tietê - no canal de São Simão ao Norte e também na divisa de Goiás com Minas Gerais - e para o Sul, próximo à região de Guairá. Por isso, entendemos que é viável ampliar e estender essa linha com a implantação desse porto em Três Lagoas”, destacou.

O secretário ressaltou que esse estudo é importante para garantir uma viabilidade maior para quem pretende investir nesse setor de hidrovia. “Isso proporciona mais sustentabilidade e garante investimento com mais segurança. Assim, conseguimos ter uma prospecção maior dos produtos e também das origens que vêm e saem de Três Lagoas”, acrescentou. 

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13