Rádios On-line

Parte do esgoto em Paranaíba é despejada em córrego

Sanesul diz que já investiu R$ 3,5 milhões em sistema de esgotamento sanitário no município

20 FEV 2013 - 07h:32Por Divulgação

Grande parte da população de Paranaíba ainda não dispõe de rede de esgoto. Os investimentos da Empresa de Saneamento Básico de Mato Grosso do Sul (Sanesul) no município correspondem a 20% da cobertura, mas a projeção é de 50%, em médio prazo. Devido à falta de sistema de tratamento de 100% do esgoto, recursos naturais do município são degradados, como o Córrego Ramalho, de apenas 3,5m de largura e 1m de profundidade. Parte do esgoto está sendo despejada no córrego, que faz parte da microbacia hidrográfica do Rio Santana.

O córrego Ramalho não é uma área protegida por vegetação ciliar e apresenta baixa qualidade ambiental aparente com águas de aspecto turvo, grandes assoreamentos, presença em alto grau de poluentes, lixo, esgotos e desmoronamento marginal, ausência de animais de qualquer espécie e um forte odor de gases causados pela putrefação das matérias químicas e orgânicas ali encontradas e constantemente despejadas. 

INVESTIMENTOS
Paranaíba terá duas etapas de obras de esgotamento sanitário, segundo a Sanesul. As obras da primeira fase, em execução, devem ser concluídas neste semestre e em seguida será licitada a fase da PAC Saneamento, que deve elevar a cobertura da cidade com rede e tratamento de esgoto.  A empresa diz que já investiu R$ 3,5 milhões em obras de esgotamento sanitário em Paranaíba, e que, até agora, foram executados 72% da rede projetada nessa etapa. 

O projeto de ampliação do sistema de esgotamento sanitário inclui reforma na estação de tratamento de esgoto (ETE), com a construção de um reator anaeróbio de leito-filtrante de 50 litros por segundo, que vai ampliar a capacidade total de tratamento de 30 para 80 l/s.

Também serão construídos um depósito de materiais, um desarenador de 80 l/s, seis células de leito de secagem, caixa receptora para caminhão autofossa e urbanização da área. 

As obras incluem também a execução de rede de esgoto e implantação de novas ligações domiciliares. A Sanesul diz que já executou 19.155 metros de rede e 681 ligações em diversos bairros, como o Jardim Daniel, a região central, a área da avenida do Carnaíba e a região próxima ao presídio.

A construção da estação elevatória de esgoto (EEE Faustino Dias) está em andamento. Dos 450 metros de recalque, 378 já foram finalizados. Na elevatória, a concretagem e a urbanização estão sendo executadas. Faltam a instalação das bombas e a construção do abrigo de grupo gerador. 

O projeto inclui ainda a execução de duas travessias de córrego, interligação do esgoto proveniente do presídio estadual e 796 metros de interceptor. De acordo com a Sanesul, as obras devem ser finalizadas em aproximadamente dois meses. As melhorias fazem parte do plano de investimento acordado durante a renovação da concessão dos serviços de saneamento. A empresa diz que para a aquisição dos materiais que serão utilizados nesta obra, como tubos de PVC, curvas e selins, foram gastos R$ 424,1 mil.

A obra irá atender diretamente a mais de 2.600 pessoas, “além de valorizar os imóveis e garantir a saúde e qualidade de vida da população, ao auxiliar na conservação dos recursos hídricos e na preservação do meio ambiente”, diz a Sanesul.

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13