Rádios On-line
BANDEIRANTES

PF prende traficante de cocaína durante operação em Três Lagoas

Ação foi deflagrada, nesta quinta-feira (17), em três cidades de MS e duas de SP

17 AGO 2017 - 08h:44Por Kelly Martins

A Polícia Federal cumpre mandado de prisão contra suspeito de tráfico de drogas, em Três Lagoas, durante a operação Bandeirantes, na manhã desta quinta-feira (17). A ação foi deflagrada hoje em Mato Grosso do Sul e em São Paulo. Foram expedidos 19 mandados de prisão preventiva, 16 mandados de busca e apreensão e dois mandados de condução coercitiva.

Além de Três Lagoas, os agentes federais cumprem os mandados nas cidades de Corumbá, Campo Grande, Suzano e São Paulo (capital). A operação prevê sequestro e apreensão de bens da organização criminosa. De acordo com a assessoria de imprensa, um homem foi preso suspeito de comercializar cocaína em Três Lagoas.

As investigações iniciaram na delegacia da Polícia Federal de Corumbá, que faz fronteira com a Bolívia. Durante seis meses de trabalhos, os policiais descobriram uma vasta rede de fornecedores, compradores, motoristas e “mulas”. Familiares e até um menor, filho de um casal membro do grupo investigado, foram recrutados para executar atividades ilícitas. Aorganização criminosa contava ainda com infraestrutura que incluía oficinas mecânicas, estacionamento, lava-jato, diversas residências, veículos de passeio, caminhonetes e caminhões.

Atuação

Neste período, foram realizadas quatro prisões e três apreensões de drogas enviadas pelo grupo, que totalizaram 354 kg de cocaína na forma de cloridrato. Na região sudeste, destino das remessas, o valor dos carregamentos somados poderia superar R$ 7 milhões. Como pagamento, a organização criminosa recebia valores em espécie em moeda nacional e estrangeira, além de veículos e embarcações que seriam negociados dentro e fora do território brasileiro.

Até o momento, foram identificados mais de R$ 921 mil reais entre automóveis, caminhões e embarcações. No decurso das investigações, também foram confiscados US$ 25 mil (o equivalente a mais de R$ 81 mil na data da apreensão) que estavam sendo levados à Bolívia, possivelmente para integrar o pagamento de um próximo carregamento de drogas.

Com clara divisão de tarefas, os alvos da operação tratavam desde as negociações com fornecedores bolivianos de cocaína, logística de pagamentos e internalização da droga no território brasileiro, até o armazenamento, ocultação em compartimentos de veículos e transporte, especialmente para o estado de São Paulo. Os métodos de transporte buscavam precipuamente evitar a fiscalização, utilizando rotas por vias vicinais ou estradas de terra e também o trânsito em horário noturno.

Deixe seu Comentário