Rádios On-line
LAVA JATO

Polícia Federal realiza buscas na Eldorado por suspeita de corrupção

Empresa ligada ao Grupo JBS estaria envolvida em casos de propina com políticos

1 JUL 2016 - 09h:30Por Valdecir Cremon

A Polícia Federal deflagrou hoje (1º) mais uma etapa da Operação Lava Jato, desta vez contra pessoas e empresas ligadas ao doleiro Lúcio Funaro, preso em sua casa na capital paulista. A operação ainda envolve o presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e a empresa Eldorado, fabricante de celulose, que tem unidade de produção em Três Lagoas.

A ação apura informações reveladas na delação premiada de Fábio Cleto, que presidiu até o ano passado os Fundos de Governo e Loterias da Caixa Econômica Federal, e de revelação que teriam sido feitas por Nelson Mello, ex-diretor da Hypermarcas, sobre cobrança de propina por Eduardo Cunha aos investigados em negócios fechados com utilização de dinheiro do Fundo de Investimentos do FGTS.

A Eldorado pertence à J&F Investimentos, que é dono do Grupo JBS, que também é composto pelas indústrias de alimentos Friboi, beneficiária de programas governamentais para a liberação de recursos públicos e empréstimos destinados a investimentos.

Uma das propinas relatadas por Cleto ao Ministério Público Federal - e homologadas pela Justiça - refere-se à captação de recursos feita em 2012 pela Eldorado, inicialmente  de R$ 1,8 bilhão para obras em Três Lagoas. O valor, porém, acabou reduzido para R$ 940 milhões. Cleto disse acreditar que Cunha tenha recebido 1% como comissão e revelou que sua parte na transação foi de R$ 940 mil.

Uma busca de documentos e equipamentos foi realizada no escritório da Eldorado, que funciona em um prédio da J&F, em São Paulo. Agentes da PF deixaram o edifício sem dar informações. Não houve buscas na unidade de Três Lagoas.

O presidente do  presidente do conselho de administração da JBS e diretor-presidente da J&F, Joesley Batista, também foi alvo de buscas.

OUTROS ALVOS

- Lucio Funaro, doleiro que, segundo delatores, é ligado a Eduardo Cunha - preso
- Joesley Batista, um dos sócios do grupo J&F - investigado
- Eldorado, comandada pela família Batista - investigada
- Milton Lira, lobista
- Cone Multimodal, empresa de logística 

Os mandados desta etapa da operação foram autorizados pelo ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), relator da Lava Jato. 

Cleto foi exonerado do cargo no dia 10 de dezembro do ano passado

Cleto foi exonerado do cargo no dia 10 de dezembro do ano passado - Foto Arquivo/EBC

 

OUTRO LADO

Em nota emitida por volta das 8h30 (de Brasília), a Eldorado confirma a ação de agentes da PF em seu escritório, mas que desconhece os motivos da ação policial.

Leia a íntegra da nota:

"A Eldorado confirma que a Polícia Federal realizou busca e apreensão em suas dependências em São Paulo na manhã de hoje. A companhia desconhece as razões e o objetivo desta ação e prestou todas as informações solicitadas. A Eldorado sempre atuou de forma transparente e todas as suas atividades são realizadas dentro da legalidade. A companhia se mantém à disposição para prestar quaisquer esclarecimentos adicionais".

Deixe seu Comentário