Rádios On-line
CÁRCERE PRIVADO

Polícia identifica suspeito de assalto à casa de ex-presidente da Câmara

Dupla armada assaltou família do ex-vereador Marchesi, na manhã de terça-feira, na área central de Três Lagoas

4 JAN 2018 - 10h:10Por André Barbosa

A Polícia Civil de Três Lagoas informou que já identificou um suspeito de participar do assalto à residência da mãe do ex-vereador e presidente da Câmara Municipal de Três Lagoas, Manoel Mendes Marchesi, 67. O assaltante teria participado juntamente com outro e, possivelmente um terceiro envolvido, ao roubo e cárcere privado de sete pessoas, entre elas, a mãe do ex-político, uma senhora de 92 anos e duas crianças, uma de sete anos e outra de dois anos. Entre os objetos levados pelos bandidos estão um notebook, anéis, correntes, celulares das vítimas e R$ 1.650 em dinheiro. O crime aconteceu na manhã desta quarta-feira (3), na rua João Carrato, no Centro.

Segundo relato de Marchesi, dois ladrões invadiram a residência às 6h, quando a cuidadora da idosa abriu a porta dos fundos da residência, costumeiramente, para coar café. A mulher foi rendida e levada para um dos quartos do imóvel, juntamente com sua filha e a mãe do ex-vereador. Após revirarem a casa, por volta das 9h, obrigaram a cuidadora a ligar para Manoel Marchesi, dizendo que houve um problema com a idosa. O ex-vereador pensou que sua mãe tivesse caído e pediu a companhia de um sobrinho, para ir até a casa. Ao entrar na residência, ambos foram abordados pela dupla armada, que se escondeu atrás da porta da sala.

Marchesi tirou R$ 650 que trazia no bolso e abriu o cofre, de onde sacou R$ 1 mil e deu para os bandidos. “Fizeram várias perguntas e reviraram a casa toda. Ofereci meu carro, mas eles não quiseram levar. Não sei de quê eles vieram atrás. Pareceu-me que alguém havia mandado eles e que conheciam a casa. Pois, quando abri o cofre com os R$ 1 mil dentro, fiquei temeroso que pudesse tomar outra atitude. Não quiseram levar talões de cheque, nem cartões que estavam no cofre. Mas, conversavam com outra pessoa pelo celular, inserido dentro do capuz. Foram muito calmos e nos trataram bem, educadamente”, disse.

Por volta das 10h30, a esposa de Marchesi viu seu carro em frente a residência da sogra e resolveu tocar a campainha. Ela também foi rendida pelos bandidos que colocaram todas as vítimas no quarto. Quando percebeu que estavam sós, o sobrinho do ex-vereador arrombou a janela e deu a volta pelos fundos e arrombou a porta da cozinha, liberando todos os outros reféns do quarto, que estava com as chaves do lado de fora.

Deixe seu Comentário