Rádios On-line

Policiais adiam paralisação, mas insistem em aumento de 25%

Policiais civis reivindicam reajuste de 25%, índice quatro vezes superior ao oferecido pelo Estado

2 MAI 2013 - 08h:19Por Arquivo JP

O Sindicato dos Policiais Civis de Mato Grosso do Sul (Sinpol) adiou data em que deveria ser deflagrada greve geral no Estado. A prorrogação dos prazos de negociação com o governo do Estado foi aprovada em assembleias regionais realizadas no fim de semana em todo o Estado, incluindo Três Lagoas.

De acordo com o presidente do Sinpol, Alexandre Barbosa da Silva, a prorrogação do prazo atende a um pedido da vice-governadora Simone Tebet. Na quinta-feira passada, representantes da classe e a vice-governadora sentaram para discutir o reajuste salarial da classe. Ela, por sua vez, teria se prontificado a tentar, junto ao governador André Puccinelli, um  acordo melhor. “Demos um voto de confiança à vice-governadora que ficou responsável por intermediar uma nova negociação com o governador. Ela nos pediu um prazo a mais, de uma semana, para que possa conseguir conversar com ele. Repassamos isso à classe, que aprovou por meio de votação. Agora vamos esperar até sexta-feira, mas a possibilidade de greve ainda não está descartada”, frisou.

O sindicalista informou que, caso não haja avanço nas negociações, a greve geral da Polícia Civil deverá ser deflagrada na próxima semana. “Vamos esperar até sexta. Se não tivermos resposta, uma nova assembleia será marcada para a próxima semana, quando decidiremos se haverá greve”, disse.

REAJUSTE
A classe de investigadores e escrivães da Polícia Civil reivindica 25% de reajuste salarial. Conforme Alexandre, a porcentagem seria o mínimo, já que comparado aos reajustes do salário mínimo ocorridos desde 2006, haveria uma defasagem de 42%. No entanto, na última audiência com o governador André Puccinelli, o Estado havia oferecido contraproposta de 7%.

O sindicalista ainda chama a atenção para a baixa remuneração dos policiais civis em Mato Grosso do Sul. Segundo levantamento do Sinpol, os investigadores e escrivães que atuam no Estado têm o 25º pior salário de todo o Brasil. Com remuneração inicial de R$ 2.361,21, os policiais sul-mato-grossenses ficariam à frente apenas de estados como a Paraíba, R$ 2,3 mil, e Acre, R$ 2,2 mil.

Além da remuneração, o Sinpol também busca extinguir a promoção por merecimento dentro da Polícia Civil. Segundo o presidente da instituição, esse tipo de promoção seria, em tese, destinado aos policiais que realizaram feitos de grande contribuição para a sociedade, porém, estes fatores não estariam sendo levados em conta como deveriam na hora da escolha. “Hoje, a promoção por merecimento é indicação e usada de barganha por políticos. Por isso queremos que as promoções ocorram apenas por antiguidade, ou seja, tempo de serviço”, destacou.

Deixe seu Comentário

RCN LIVE EUGENIO MUSSAK

TVC Canal 13