Rádios On-line
PESQUISA

Litro da gasolina mais caro em Três Lagoas chega a quase R$ 6,10

O valor do litro da gasolina comum, ainda que considerado alto, é menor em relação a penúltima pesquisa feita pelo Procon, quando a gasolina atingiu o valor de R$ 6,41.

11 ABR 2021 - 18h:00Por Daiana Oliveira

De 26 de março à 6 de abril, o Procon de Três Lagoas realizou uma fiscalização de preços nos postos de combustíveis para conferir os valores aplicados nas bombas de abastecimento.

Foi fiscalizada a precificação em 24 postos da cidade, analisando os valores aplicados para vendas ao consumidor da gasolina comum e aditivada, etanol, diesel comum e aditivado.

O maior valor encontrado para venda da gasolina comum é de R$ 6,099 e o menor valor a R$ 5,699. O valor do litro da gasolina comum, ainda que considerado alto, é menor em relação a penúltima pesquisa feita pelo Procon, na primeira quinzena de março, quando a gasolina atingiu o valor de R$ 6,41.

Segundo a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) mesmo com a oscilação, os altos preços nas bombas são reflexo da venda dos combustíveis nas refinarias. O preço cobrado nos postos é maior porque incluem custos dos estabelecimentos e impostos.

O etanol é possível encontrar a um preço ainda mais em conta do que na última semana de março, quando chegou a R$ 4,25. Nesta última pesquisa, o etanol chegou a R$ 4,199 e vem mantendo seu maior custo, desde março, no valor de R$ 4,823.

Ainda que não expressiva, o etanol veem registrando baixa e a justificativa refere-se aos períodos de safra e entressafra da cana, segundo especialistas. De abril a novembro, momento em que as plantações estão produtivas, o etanol fica mais competitivo no mercado e sua venda é maior por conta do aumento da oferta. 

A pesquisa realizada pelo Procom, ainda aponta o menor custo do diesel comum a R$ 4,090 e o mior preço nas bombas a 4,625.

O assessor especial do Procon de Três Lagoas, Luiz Akira, diz que a fiscalização se manterá intensa para resguardar o consumidor de valores abusivos.


 

 

Deixe seu Comentário