Rádios On-line
COMEMORAÇÃO

Presas contam como é o Natal na penitênciária de Três Lagoas; vídeo

Reportagem foi à unidade saber o que as internas e também as agentes penitenciárias esperam na data

24 DEZ 2018 - 20h:50Por André Barbosa

Natal é sinonimo de união, paz, carinho e família reunida. Muitas pessoas acabam, por um motivo ou outro, passando a data tão importante longe de seus entes queridos. É o caso de muitas mães e mulheres que cumprem penas em unidades prisionais, por vezes, muito longe de casa. E quem cuida destas internas, as agentes penitenciárias, também passam pela mesma situação. 

No prisídio feminino de Três Lagoas, o espírito natalino está presente em quase todos os cantos da unidade. Com acapacidade para 58 presas, são elas que se encarregam da decoração natalina. "Elas que montam e dão ideias dentro dos solários do presídio. Ficam muito felizes de participar e querem muito, isso. Nós compramos material para elas, como produtos de pintura e apliques e as internas montam as decorações", disse a diretora Leonice Miranda Rocha.

O presidio feminino de Três Lagoas abriga ao menos 75 internas em 14 celas. Há presas que cumprem penas há mais de duas décadas. Destas, uma jovem gestante, em sua segunda detenção. "Este Natal será mais frágil para mim, que estou carregando um bebezinho. Não tenho mais a visita de meu marido que, quando soube que eu estava grávida, me abandonou. Minha mãe é aponsentada e não tem condições de me visitar", disse a interna Josiane da Silva Ferreira.

Dalva, que é avó, passa pelo mesmo problema, mas que poderá ter uma novidade. "Natal é muito solitário na prisão. Nesta semana, acho que vou embora. Estou dependendo da direção do presídio para me liberar. Seria meu presente de Natal. Vou ficar muito feliz". 

Elaine de Fátima da Silva já passou mais de 20 natais presa. Quatro dessas noites especiais foram em Três Lagoas. Neste ano, a data foi considerada uma das mais tristes para a interna. "Estes tempos, quase perdi minha mãe. Eu estou presa e de mãos atadas, sem poder fazer nada por ela", lamentou.  

Mas, a noite de Natal ainda tem mais uma companhia para estas mulheres. São as agentes penitenciárias que acabam trocando o conforto de seus lares, por longos plantões natalinos. É o caso da Graziela Soares, que há cinco anos passa a virada do dia 24 para 25, na unidade. "É uma data que representa muito a união da família. E as internas tentam compensar muito isso, entre elas. E nós, agentes, com os colegas aqui. É assim que tentamos compensar a distância das nossas famílias", disse.

*Assista a matéria completa da noite de Natal das internas do presídio feminino de Três Lagoas e veja o que elas pediram para o Papai Noel, além de saber mais sobre a unidade. Feliz Natal!

No presídio também há concurso de beleza uma vez por ano. Veja.

 

 

Deixe seu Comentário