Rádios On-line
DIFERENÇA

Preso custa 12 vezes mais que um aluno em Três Lagoas

Governo gasta R$ 17,3 milhões por ano com 965 presos em Três Lagoas: valor é maior que o gasto com estudantes da rede pública

23 FEV 2019 - 12h:00Por Ana Cristina Santos

É gigante a diferença de gastos do governo do Estado com a manutenção de presos em Três Lagoas e o quanto um aluno da rede pública no município recebe de investimento. Hoje, há 965 detentos em presídios de Três Lagoas: 759 em celas, 206 no semiaberto e 25 com tornozeleira eletrônica.

Somente na penitenciária que tem capacidade para 250 presos, há 673 internos. Há celas com até 15 e muitos dormem no chão por falta de camas.

Segundo a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), cada preso custa, em média, R$ 1,5 mil ao governo do Estado por mês. Somente na cidade, o gasto anual é de R$ 17,3 milhões. 

Um preso em Mato Grosso do Sul custa, assim, 12 vezes mais do que um aluno da rede municipal.  Uma criança que frequenta  creche pública de Três Lagoas custa R$ 4,26 por dia, R$ 127 por mês e R$ 1.524 ao ano. Segundo dados de 2018, do Ministério da Educação, o valor anual mínimo nacional por aluno foi de R$ 2.091,37 - equivalente a R$ 174 por mês. Quase R$ 6 por dia. Enquanto que um preso custa cerca de R$ 50 por dia.

De acordo com a Agepen, o custeio do sistema prisional inclui alimentação, água, energia elétrica, e salário de servidores. O valor é ainda maior se contabilizadas despesas com educação, saúde, escoltas e gasto com policiais militares. A média de R$ 1,5 mil é apenas o valor de despesas calculado pela Agepen. A média nacional do custo de um preso é de R$ 2,4 mil.

Em Mato Grosso do Sul, existem 18.027 pessoas presas em 9.068 vagas existentes nas cadeias e em presídios. Contabilizando os números, o Estado tem um gasto anual de R$ 300 milhões com presos.

TORNOZELEIRA
De acordo com a Agepen, atualmente, em Três Lagoas, 25 presos são monitorados por tornozeleira eletrônica. Vinte e três são do regime semiaberto, sendo 13 mulheres e 12 homens. Por decisão judicial, duas pessoas utilizam tornozeleira na cidade e não estão no regime semiaberto. Em todo o Estado, são 1.653 presos usando esse equipamento de segurança.

Deixe seu Comentário