Rádios On-line
EM ASSENTAMENTOS

Produtores rurais têm incentivo de Guerreiro à comercialização de alimentos

Prefeito esteve reunido com produtores no Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Três Lagoas

25 AGO 2017 - 17h:45Por Redação

O prefeito Angelo Guerreiro, acompanhado do chefe de Gabinete, José Aparecido Moraes, esteve no Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Três Lagoas, no início da tarde desta sexta-feira (25), acompanhando o deputado estadual João Grandão.

No local, estavam pequenos produtores rurais do Cinturão Verde, Pontal do Faia, Paulistinha, 20 de Março e Palmeira, que produzem alimentos em seus lotes e que os comercializam para a merenda escolar do Município e do estado de Mato Grosso do Sul .

Na reunião, coordenada pela presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Genir Neves, foram encaminhadas questões de orientações legais e ação do deputado João Grandão para regularização de lotes e débitos bancários pendentes para que todos possam ter acesso ao crédito fundiário.

Ao mesmo tempo, os pequenos produtores agradeceram à Administração Municipal, através do prefeito de Três Lagoas, peloo apoio que têm recebido para a comercialização de seus produtos, como por exemplo, os produzidos pelas famílias do Assentamento 20 de Março, entre outros.

O Prefeito informou que mais de 70% dos produtos da Merenda Escolar de Três Lagoas são adquiridos através do Programa da Agricultura Familiar e “são pagos em dia”, disse.

“Temos venda garantida de mais de R$ 300 mil só neste ano para a Prefeitura de Três Lagoas, através da Merenda Escolar”, contou a produtora rural, Neli Cordeiro de Macedo Magalhães, do Assentamento 20 de Março.

“Tudo o que a gente produz a gente vende. A gente tem vendido cebola, rabanete, mandioca, batata doce e outros produtos. Assim a gente trabalha contente, com a certeza que vamos vender tudo”, disse a senhora Neli.

Por sua vez, o prefeito Angelo Guerreiro, ao ser questionado sobre o Cinturão Verde, garantiu que dará “atenção especial às famílias que trabalham na terra e produzem”, disse.

“A questão do Cinturão Verde vem se arrastando há anos. Podem ter a certeza que não temos interesse algum de colocar as famílias na rua. Se houver necessidade de mudar as famílias desses locais, a Prefeitura tem outras áreas e dará prioridade às famílias que estão produzindo”, garantiu.

Deixe seu Comentário