Rádios On-line

Projeto beneficiará catadores de reciclaveis

Prefeitura vai aderir ao projeto do governo federal que prevê a destinação de R$ 1 milhão para cidade

6 MAR 2013 - 08h:38Por Arquivo JP

 

Três Lagoas vai aderir ao projeto de economia solidária que visa beneficiar as pessoas que vivem da coleta de material reciclável. Para a execução do projeto, o governo federal vai destinar R$ 1 milhão ao município e o governo estadual entrará com uma contrapartida de R$ 250 mil. A ideia é criar uma cooperativa que possa melhorar as condições de vida dos catadores.

Em entrevista ao Jornal do Povo, a secretária Estadual de Trabalho e Assistência Social, Tânia Mara Garibe, disse que esteve em Três Lagoas na semana passada conversando com a prefeita Márcia Moura e com alguns secretários sobre a disponibilidade e a importância do projeto ser implantado no município. Ao todo, cinco cidades do Estado serão beneficiadas com esse programa, que destinará R$ 5 milhões para Mato Grosso do Sul.

O projeto, segundo ela, será elaborado pelo Estado em parceria com os municípios, conforme a necessidade e particularidade de cada um. Tânia já esteve em Três Lagoas e Dourados, após conversar com os prefeitos de Corumbá, Ponta Porã e Campo Grande. Ela disse que o governo do Estado deve assinar com a União a carta de adesão ao programa. A intenção, conforme a secretária, é de que até o mês de abril os projetos estejam entregues.

De acordo com Tânia Garibe, o principal objetivo é melhorar as condições das pessoas que trabalham catando lixo. “O projeto será executado em etapas. Primeiro, temos que identificar quem são os catadores, depois fazer a inclusão produtiva, inseri-los nos programas sociais e organizá-los para que eles possam trabalhar em sistema de cooperativa. O projeto não visa resolver os problemas dos lixões, e assim por diante”, destacou.

A secretária ressaltou que o programa visa à qualificação profissional dos trabalhadores. “Pretendemos capacitar essas pessoas e oferecer uma série de qualificação para que elas possam ter uma melhor qualidade de vida”, frisou. Além de promover a inclusão social dessas pessoas, o projeto visa também à destinação correta dos materiais recicláveis que, se descartados na natureza, levam anos para se decompor.

PREFEITURA 

O secretário de Assuntos Governamentais, Walmir Arantes, disse que a Prefeitura irá nomear um gestor para trabalhar na execução desse projeto. Segundo ele, a intenção é que um espaço dentro da área em que se encontra o aterro sanitário seja destinado à construção de um barracão, onde os catadores devem trabalhar. “Além do barracão, vamos comprar os maquinários para que eles possam desenvolver o trabalho com os materiais. Pretendemos designar uma pessoa a fim de que ela ajude os catadores a criar uma cooperativa para que eles viabilizem no futuro a sua própria receita”, informou.

De acordo com Arantes, com a adesão a esse projeto, esse já é um primeiro passo para a implantação da coleta seletiva em Três Lagoas. “Estamos fazendo de tudo para que isso aconteça, até porque essa foi uma das propostas de campanha da prefeita Márcia Moura. Esse projeto do governo federal vem ao encontro do plano de governo dessa administração”, salientou Walmir.

Para o secretário de Assuntos Governamentais, a implantação desse projeto é importante para Três Lagoas, já que irá contribuir com a limpeza da cidade e evitará que esses materiais fiquem jogados nas ruas, causando o entupimento dos bueiros. “Além de ser ambientalmente correto, vamos proporcionar melhores condições de trabalho e financeira para esses catadores”, frisou .

 

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13