Rádios On-line
OBRAS

Rodovia 262 será restaurada e terá 32 quilômetros com terceira faixa

Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes vai contratar empresa para recuperar rodovia que liga Três Lagoas à Capital

26 AGO 2017 - 09h:07Por Ana Cristina Santos

A rodovia que liga Três Lagoas a Campo Grande será restaurada e ganhará 32 quilômetros de terceira faixa. Na próxima semana, será concluído o processo licitatório que definirá a empresa que vai executar a obra de restauração do pavimento.

De acordo com o engenheiro chefe do Dnit de Três Lagoas, Milton Rocha Marinho, não se trata da duplicação da BR-262, porém adiantou que será uma obra que vai possibilitar uma melhoria considerável na estrada. 

Além da reconstrução do pavimento, 32 quilômetros de terceira faixa serão construídos nos trechos mais complexos da rodovia, distribuídos em rampas e curvas. O projeto prevê ainda dispositivos de segurança, como interseções e travessias.

Atualmente, a BR-262, no sentido Três Lagoas a Campo Grande, está com trechos quase intransitáveis, tomados por buracos. Usuários da rodovia reclamam das péssimas condições em que se encontra a rodovia. Além de buracos, o pavimentado da rodovia está com desnível, causando perigo aos motoristas que precisam desviar das ondulações.

Em razão das condições atuais da via, o Dnit informou que estaria providenciando um reparo emergencial em alguns trechos da via. Segundo Marinho, as chuvas dos últimos dias contribuíram para o aumento dos buracos.

Embora a licitação esteja prevista para ser concluída na próxima semana, e a empresa contratada neste ano, o projeto de restauração da BR-262 terá início apenas no começo de 2018. Independente desse projeto, o Dnit está em fase final de contratação de outra empresa que ficará responsável pela manutenção da rodovia.

DUPLICAÇÃO
O engenheiro do Dnit esclareceu que o projeto de restauração da BR-262 não consiste na duplicação da rodovia, conforme anseio de anos dos condutores que trafegam pela via. No entanto, ressalta que a rodovia terá uma melhora significativa.

A partir disso, segundo Marinho, melhorando as condições de tráfego, aumentará o fluxo de veículos na BR-262, o que possibilitará a duplicação da rodovia, por meio da iniciativa privada.

Hoje, conforme o engenheiro, não existe viabilidade de concessão da BR-262 em razão do tráfego de veículos ser considerado pequeno, pois não haveria interesse de empresas em administrar uma via, que teria de receber investimentos consideráveis e com um retorno baixo. 

Deixe seu Comentário