Rádios On-line

Saúde terá metas a serem cumpridas em 2013, diz prefeita

Márcia adianta que um dos objetivos da próxima gestão é melhorar o serviço de saúde

19 DEZ 2012 - 08h:29Por Rosildo Moura

Não é novidade que o setor de saúde é o calcanhar de Aquiles de toda a administração municipal. Em Três Lagoas, não é diferente. Mas, para 2013, a população pode esperar melhorias nesse setor. É o que garantiu a prefeita Márcia Moura (PMDB), em entrevista concedida na manhã de ontem, no programa RCN Notícias, da Rádio Cultura FM (106,5 Mhz). Márcia fez uma avaliação dos trabalhos realizados neste ano e falou sobre as metas para 2013. Disse que seu maior objetivo na próxima gestão é melhorar a saúde.

Uma delas já teve início na última sexta-feira, quando ficou acertado que o Hospital Auxiliadora terá uma gestão compartilhada com a Prefeitura, a partir do próximo ano. Essa situação que envolve a questão da contratualização entre hospital e administração municipal, segundo a prefeita, vinha tirando o seu sono. “Eu não estava dormindo, mas garanti que a população não ia e não vai ficar sem atendimento”, ressaltou Márcia. Ela contou que várias reuniões foram realizadas até chegar a essa conclusão, que é a melhor opção para a população.

De acordo com a prefeita, o seu maior objetivo, mais importante do que o asfaltamento - um dos maiores anseios da população que ainda não conta com esse benefício -, é melhorar o atendimento e o serviço prestado na área da saúde em Três Lagoas. Ela informou que será realizado um diagnóstico de toda essa área a fim de que melhorias possam ocorrer de fato. “Vamos dar um choque positivo na saúde”, ressaltou.

Márcia comentou que a intenção é acabar com a burocracia que existe nesse setor, a fim de evitar que a população falte ao trabalho em busca de atendimento. Ela ressaltou que um trabalhador perde pelo menos quatro dias de trabalho para ser atendido. “Ele falta no serviço porque tem que agendar consulta, depois comparecer para ser atendido, retornar para buscar o exame, e assim por diante. Isso não é justo. Temos que agilizar esse sistema de agendamento de consulta para os pacientes, evitando que eles percam dias de serviço”, comentou.

Dentro desse “choque” na saúde, está um levantamento que será feito a respeito do atendimento dos postos de saúde, nas clínicas e demais locais que prestam atendimento, incluindo até um estudo sobre os projetos que serão implantados com o objetivo de melhorar a qualidade de atendimento à população. “Vamos fazer um diagnóstico de tudo o que existe na saúde e também conversar com os funcionários. Metas terão que ser cumpridas, e nós vamos mudar a saúde do município”, garantiu a prefeita.

HOSPITAL
A prefeita informou que, até o segundo semestre do próximo ano, devem ser iniciadas as obras para a construção do Hospital Universitário. No momento, o projeto está em fase de elaboração do Plano Diretor do hospital, que terá 150 leitos e não mais 120, conforme previsto inicialmente. “Necessitamos de um estudo detalhado sobre como será o projeto do hospital. Estamos contando, inclusive, com a ajuda do consultor do governo do Estado, que conhece as áreas de urgência e emergência. Ele nos ajudou nessa negociação com o Auxiliadora e vai nos ajudar nesse processo do novo hospital”, destacou.

A prefeita adiantou que, mesmo com a construção do Hospital Universitário, a parceria com o Auxiliadora será mantida, já que um complementará o outro. “Precisamos dos dois hospitais, pois a quantidade de pacientes em busca de atendimento é muito grande”, frisou. Ela destacou também que a pretensão é oferecer mais atendimento, com qualidade em Três Lagoas, e não mandar pacientes para outros municípios. 

METAS
Segundo Márcia Moura, este ano foi positivo para a administração municipal uma vez que houve continuidade de algumas obras, mas, em razão do período eleitoral e da crise europeia que atingiu o Brasil, ocorreu uma diminuição na arrecadação do município, o que prejudicou a execução de alguns serviços. Entretanto, para 2013, ela adiantou que pretende dar continuidade a grandes projetos. Para tanto, disse que pretende conseguir parcerias para que a bancada federal de Mato Grosso do Sul destine mais recursos federais para Três Lagoas.

Entre os projetos que destacou como prioridades para o próximo ano, está a execução de obras de drenagem, principalmente para resolver os problemas de alagamentos em alguns pontos da cidade. Resolver o problema que ocorre na região do Jardim Alvorada, segundo ela, está entre as suas metas. Apesar disso, tem ciência de que para a execução desses projetos é necessário contar com recursos do governo federal. A continuidade de obras de pavimentação asfática também permanece entre as suas metas. Nas vias em que não houver a necessidade de drenagem, Márcia disse que pretende levar o asfalto logo. 
 

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13