Rádios On-line
9114
CBN AÇÃO 2019 PAULO VICENTE

Secretário quer todos envolvidos na educação

Novo projeto pedagógico visa fortalecimento das escolas e envolvimento de toda a comunidade

27 JAN 2009 - 06h:20Por Carlos Alberto

O professor de Educação Física, especialista em Treinamento Desportivo, em diversas modalidades, Mário Grespan Neto, ex-diretor da Escola Estadual Dom Aquino Corrêa, foi, pela primeira vez, convidado pelo ex-prefeito Darcy da Costa Neto, em 1996, para elaborar o projeto de criação da então Fundação de Desporto e Lazer “Professor Milton Dias Porto”. A partir daí e efetivamente desde 1998, Mário Grespan sempre esteve ligado à Secretaria Municipal de Educação, envolvido principalmente nos setores técnicos e estruturais, como na criação de instrumentos legais para o funcionamento da Rede Municipal de Ensino (Reme), merenda e transporte escolar, tipologia e organização interna das escolas, estatuto dos trabalhadores em educação do Município e realização de eleições de diretores da Reme, entre outros. Discreto e sem pretensões políticas, Mário Grespan foi nomeado secretário de Educação pelos conhecimentos técnicos que tem dessa importante área, prioridade na administração municipal. Em entrevista ao Jornal do Povo, o professor Mário Grespan falou das propostas da Secretaria de Educação e Cultura para o segundo mandato da prefeita Simone Tebet. “Temos que agir sempre achando que tudo ainda não está bom”, disse ao avaliar o que já foi feito na área de Educação e o que precisa ser feito. “O Município investe muito na Educação. Temos que exigir sempre um pouco mais em todos os setores, para que os investimentos sejam revertidos em bons resultados na Educação”, observou.

JP: Quem é Mário Grespan e quais teriam sido os motivos que levaram a prefeita Simone Tebet a nomeá-lo Secretário de Educação e Cultura?

Mário Grespan: Sou discreto, por natureza. Não gosto de aparecer e não sou político. Considero-me um trabalhador da Educação. Deixo a política para quem tem vocação para isso. Sempre me dediquei com afinco ao meu trabalho. Talvez tenha sido por esse motivo que a prefeita Simone Tebet me escolheu para Secretário de Educação e Cultura, levando em conta os meus conhecimentos técnicos da estrutura educacional da Rede Municipal de Ensino.

JP: Como o senhor está encarando essa tão importante responsabilidade, numa das áreas que são prioridade na visão política e administrativa da prefeita Simone Tebet?

Mário Grespan; Sinto-me tranqüilo na missão a que fui designado. Fica mais fácil executar idéias e projetos, quando se tem uma prefeita que é educadora, professora e possui vasta experiência pedagógica. O valor que a prefeita Simone dá à educação foi amplamente demonstrado já no primeiro mandato. Foram altos os investimentos na construção de novas unidades escolares, na valorização do professor e na estrutura educacional. Temos tudo para atingirmos nossos objetivos. Resta o empenho de cada um de nós para obtermos os resultados. Não bastam altos investimentos. É necessário percebermos o retorno, o resultado, que é a melhoria do nível do aprendizado de nossos alunos.

JP: Como o senhor pretende melhorar o nível da educação no Município?

Mário Grespan: Nossa missão, como secretário de Educação e Cultura é fazer de Três Lagoas referência estadual e nacional com o compromisso do dinamismo, da modernidade e da eficiência na prestação de serviços educacionais e culturais. Para formar o aluno cidadão temos que lhe apresentar uma escola de elevado padrão de qualidade, não só na sua estrutura externa, mas, principalmente, na eficácia dos serviços educacionais prestados, pelo respeito às pessoas e valorização dos trabalhadores em educação e pela transparência das ações.

JP: Na prática, como isso deverá ser aplicado aos 11,2 mil alunos da Reme?

Mário Grespan: Em primeiro lugar, vamos fortalecer nossas escolas, como fortes unidades educacionais. Em todas elas, respeitando as devidas particularidades e diversidades culturais, o principal objetivo deverá ser sempre a execução de sérias políticas educacionais direcionadas para o aluno. Tudo deve estar voltado para a formação plena do aluno e todos dessa comunidade escolar devem envolver-se nessa missão, que não deverá ser somente do diretor e dos professores. Temos que despertar a consciência de que todos somos educadores, cada um na sua função específica. A partir do momento em que todos os que trabalham em determinada escola tiverem essa consciência, os resultados serão melhores e mais visíveis. Para isso, vamos nos empenhar na formação continuada dos professores e de todos os funcionários da escola. Vamos fazer de tudo o que estiver ao nosso alcance para que todos se sintam valorizados naquilo que fazem. Acredito que a realização profissional do trabalhador em educação reflete na qualidade de ensino que é dada ao aluno. A qualidade de ensino não depende somente do que é dado ao aluno na sala de aula. Depende do transporte, da merenda, do ambiente físico da escola, do relacionamento da escola com os pais e com toda a comunidade daquele bairro. A escola tem que ser influente social e politicamente no lugar onde está inserida para a melhoria da qualidade de vida daquela comunidade.

JP: Além da Educação, o senhor também tem sob sua responsabilidade a Cultura? Quais as propostas que deverão ser colocadas em prática no segundo mandato da prefeita Simone?

Mário Grespan: Estamos reestruturando todo o Departamento de Cultura. Não podemos continuar nos limitando à apresentação de shows e eventos na praça Senador Ramez Tebet, no centro, nos finais de semana. Temos que também criar espaços nos bairros para possibilitar a manifestação cultural e artística da população. Para isso, precisaremos criar estrutura para eventos, oficinas, palestras, danças, artesanato e espetáculos culturais e artísticos em geral, também nos bairros. Uma outra missão do Departamento de Cultura deverá ser a reforma, conservação e revitalização do patrimônio arquitetônico, existente em Três Lagoas. Não adianta tombar através de Decreto e abandonar tudo como se encontra. Temos que fazer alguma coisa para manter a integridade do nosso patrimônio histórico e cultural. Temos que manter um patrimônio que seja possível mostrá-lo como nosso, lembranças vivas da nossa história, às gerações presentes e futuras. 
Um outro trabalho do Departamento de Cultura será o de apoiar e dar condições de serem executadas às atividades culturais propostas pela comunidade. Temos que incentivar o surgimento espontâneo da cultura da nossa gente, estimulando a produção das artes plásticas, da música, da literatura, da fotografia, da dramaturgia, da dança e outras mais manifestações da arte. Para tudo isso, contamos com o apoio da prefeita Simone Tebet, a quem já apresentamos nossas propostas.

JP: Está tudo preparado para o início do ano letivo de 2009?

Mário Grespan: Temos uma previsão de atendermos 11,2 mil alunos para este ano letivo, que começa no próximo dia 9 de fevereiro. A alimentação e o transporte escolar continuam sendo terceirizados para que a escola tenha melhores condições de oferecer uma excelente qualidade de ensino. Tudo está praticamente engatilhado para começar. Restam ainda alguns pequenos detalhes, principalmente, na questão de lotação de professores. Para isso, estamos nos valendo do princípio da legalidade e da transparência. Quase 70% do nosso quadro é concursado. Os demais contratados são submetidos a testes de avaliação e competência legal. Acredito que estamos preparados para atender, da melhor forma possível, às 15 unidades escolares, já incluindo as duas escolas de educação no campo, as até há pouco tempo chamadas de “escolas rurais”. Também está tudo preparado para o bom funcionamento dos 12 Centros de Educação Infantil.

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13