Rádios On-line

Testes de bafômetro aumentam 300%, diz PRF

Infrações à Lei Seca triplicam no primeiro bimestre

16 MAR 2013 - 08h:20Por Arquivo/JP

Com uma Lei Seca mais rigorosa, policiais da 8º Delegacia da Polícia Rodoviária Federal de Três Lagoas (PRF) intensificaram o número de testes de bafômetros realizados nas rodovias federais BRs 158 e 262. O resultado desse trabalho, segundo o chefe da 8º Delegacia da PRF, Luis Carlos Gratão, gerou um aumento de 336,5% na quantidade de exames, somente nestes primeiros dois meses de 2013.

Nos meses de janeiro e fevereiro deste ano, foram realizados 873 testes, o equivalente a pelo menos 14 testes de bafômetro por dia em motoristas que passaram pelas rodovias que cortam o município. Destes, 75 motoristas foram multados e 32 foram presos por dirigirem sob efeito de álcool, além de ter o veículo recolhido. Já no mesmo período de 2012, a PRF aplicou 200 exames de bafômetro, que resultaram em 41 multas e 31 presos. De acordo com esses dados, nota-se também um crescimento de 83% no número de multas neste ano. Já a quantidade de condutores presos manteve-se praticamente estável.

ESTADUAL
Ao contabilizar os dados estaduais novamente, a PRF registrou crescimento no número de testes de bafômetro e de pessoas presas por dirigem sob efeito de álcool. Nos dois primeiros meses deste ano, a equipe de policiais realizou 9.335 testes de bafômetros. Desse total, 137 motoristas foram presos. 

De acordo com a PRF, o número de testes aplicados em condutores, em 2013, é cinco vezes maior do que no mesmo período do ano passado. Já o total de pessoas presas também é duas vezes maior  se comparado a 2012. Em relação às multas, os números também dobraram. No início do ano passado foram 98 pessoas autuadas e, ao final deste primeiro bimestre, foram 273.

MUDANÇAS
Conforme o órgão, os números refletem as mudanças feitas na lei. Em dezembro do ano passado, uma resolução sancionada pela presidente Dilma Rousseff (PT) sobre a Lei Seca prevê maior rigor na fiscalização e punição dos infratores. Segundo o texto aprovado pelo Senado, as autoridades podem se valer de testes clínicos, vídeos e depoimentos dos policiais, além do bafômetro, para prender motoristas alcoolizados.

Em janeiro deste ano, outra alteração reduziu para zero a margem de tolerância no bafômetro. O motorista que for pego dirigindo depois de ingerir qualquer gota de álcool pode sofrer graves consequências. O valor da multa dobrou, ao passar de R$ 957,70 para R$ 1.915,40. Em caso de reincidência, passa para R$ 3.830,80. Além disso, nesse caso, o condutor tem o direito de dirigir suspenso por um ano.

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13