Rádios On-line

Trabalhadoras do comércio reivindicam creche noturna

Horário atual das creches, das 7h às 17h, não atende à demanda das mães trabalhadoras

12 MAR 2013 - 08h:00Por JJ Caju

Mães filiadas ao Sindicato dos Empregados no Comércio de Três Lagoas reivindicam creche noturna às vereadoras Vera Helena(PMDB), Marisa Rocha (PSB) e Sirlene da Saúde (PRB). A luta das trabalhadoras é pela mudança no horário de atendimento nos Centros de Educação Infantil (CEIs) com o intuito de atender à atual demanda da cidade. A grande maioria trabalha até às 18h ou mais. A solicitação aconteceu durante um café da manhã em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, realizado na sede do sindicato.

De acordo com o presidente do sindicato, Eurídes Silveira de Freitas, Três Lagoas, nos últimos anos teve um amplo desenvolvimento econômico, o que gerou inúmeros postos de trabalho para as mulheres. Porém, as creches não acompanharam esse crescimento e continuam atendendo no mesmo horário, ou seja, das 7h às 17h. “É impossível uma mãe que trabalha até às 18h ou mais contar com o serviço oferecido pelos centros educacionais. O período de funcionamento precisa se adequar à realidade das trabalhadoras. Além disso, há mulheres que querem estudar à noite”, disse. 

Conforme Marisa Rocha, a creche noturna é de extrema necessidade. “Conheço uma mãe que paga R$ 80 para uma pessoa levar e buscar a criança no CEI porque o atendimento se encerra antes de a mãe sair do serviço. Esse dinheiro faz falta para a família”, contou. Ela ainda sugeriu que a prefeitura instale sistemas de monitoramento por câmera nos CEIs, para registrar e acompanhar a qualidade no atendimento prestado às crianças.

Segundo Freitas, a luta do sindicato não é para favorecer somente as funcionárias do comércio, como também as mães que trabalham em setores como hotéis, restaurantes, indústria etc. Na opinião dele, o ideal é que funcionárias, empresários, comerciantes e poder público se unam para viabilizar a implantação dos CEIs noturnos. “Uma criança bem assistida deixa a mãe tranquila para trabalhar e produzir ainda mais. Acredito que a classe patronal é a mais interessada nisso”.

Outra reivindicação levantada pela direção do sindicato refere-se à criação de uma lei para que as empresas beneficiadas com isenção fiscais e cessão de terreno sejam responsáveis por apoiar o poder público na construção e manutenção de CEIs.

REIVINDICAÇÃO ANTIGA
De acordo com Freitas, a batalha por criação de creches noturnas é antiga. Em 2007, o sindicato reivindicou a Simone Tebet (PMDB), prefeita na época, a implantação dos CEIs 24h. Porém, segundo o sindicalista, o poder público fez uma pesquisa e percebeu que naquele momento não havia demanda. Mas, agora, em 2013, a realidade é outra. “O número de empresas cresceu, o número de mulheres trabalhadoras aumentou e ainda temos mães que não trabalham por não ter onde deixar seus filhos com segurança”, frisou. E continuou: “Antigamente, as avós cuidavam dos netos, mas, hoje, as avós também estão no mercado de trabalho. O poder público e a classe empresarial de Três Lagoas precisam se adequar e atender esta reivindicação”, concluiu.

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13