Rádios On-line
CLASSIFICAÇÃO DE RISCO

Prefeito de Três Lagoas apresentará justificativas ao Estado para manter bandeira vermelha

Decreto do governo do Estado permite a apresentação de justificativa por parte dos municípios

10 JUN 2021 - 12h:39Por Daiana Oliveira

Diante da classificação de risco mapeado pelo (Prosseguir) Programa de Saúde e Segurança na Economia, que colocou Três Lagoas na classificação de risco da bandeira Cinza (risco extremo), o prefeito de Três Lagoas Angelo Guerreiro apresentará ainda nesta quinta-feira (10), ao governo do Estado, uma justificativa técnica para que o Município seja enquadrado novamente na bandeira vermelha (risco alto) e não bandeira cinza, como está atualmente, desde a manhã desta quinta, após publicação do Decreto 15.693 pelo Comitê Gestor do Prosseguir.

A decisão foi tomada após reunião pela manhã, entre Comitê de Enfrentamento à Covid-19, assessoria Jurídica do Município e representantes das classes do comércio que deliberaram sobre as medidas a serem tomadas a partir de agora para conter a disseminação da Covid-19 e, se a cidade seguirá o decreto em relação as restrições para funcionamento dos serviços considerados essenciais e não essenciais.

O prefeito alega, que a justificativa leva em consideração as restrições que o município deixará de sofrer com a bandeira cinza. 

A Secretaria de Estado de Governo e Gestão Estratégica, por meio do Comitê Gestor do Prosseguir, dispôs sobre medidas excepcionais e transitórias a serem adotadas no decreto Normativo publicado no Diário Oficial Eletrônico, levando em consideração quando a taxa de ocupação global dos leitos de UTI Covid-19 no SUS (Sistema Único de Saúde), ultrapassar 90% em todas as macrorregiões do Estado de Mato Grosso do Sul. Três Lagoas atualmente, está com uma taxa de ocupação de 120%.

O decreto permite a apresentação de justificativa pelos municípios. Há um parágrafo único em que os municípios que não adotarem as recomendações deverão apresentar as justificativas técnicas para o descumprimento perante a Secretaria de Estado de Saúde, que procederá uma nova avaliação.

Deixe seu Comentário